Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Tuesday, December 20, 2005

Pais-Natal pendurados

Muito se tem falado desta moda que assola Portugal: a praga de Pais-Natal pendurados um pouco por toda a parte. E por já muito ter sido dito, decidi não dizer mais nada!

A grande dúvida do dia

Hoje vamos estar perante o verdadeiro tira-teimas. Quem será que vai ganhar? Embora uma das partes esteja com a vitória praticamente assegurada, só hoje vamos confirmar para que lado pendem os portugueses.


DEBATE


ou


NOVELA?


Eu já escolhi:




Quero saber quem matou o António!

Thursday, December 15, 2005

1 ANO

Aqui o Profi Trolls fez um ano no dia 1 de Dezembro. Muito obrigado pelas 15 parabenizações!


Tudo começou a 1 de Dezembro de 2004 com O Nascimento!
E continuou...


E dando uma volta completa, cá nos vemos chegados, uma vez mais, a Dezembro. Desta vez de 2005. E agora? Agora não sei!


A enumeração mensal foi uma aposta (ganha), em como sabia o nome e a ordem dos 12 meses do ano. Peço desculpa! Parabéns para quem ler isto também, já agora.

A Entrevista Possível com… Gonçalo da Câmara Pereira

Um Presidente para Portugal


Gonçalo da Câmara Pereira não é um político profissional, mas, em 1974, foi fundador do Partido Popular Monárquico (PPM) do qual é actualmente vice-presidente e, nas últimas eleições autárquicas, foi eleito vereador da Câmara Municipal de Arronches. Visto isto, podemos considerar que Gonçalo, apesar de não ser um político profissional, ganha umas coroas com um part-time na política. É poeta, fadista, agrónomo e monárquico com direitos sucessórios ao Trono de Portugal (e quem sabe de Andorra, Granada, Obus e Morteiro), contudo isso não o impede de, como cidadão português, concorrer à eleição ao mais alto cargo da República, principalmente nesta hora tão séria a nível nacional e mundial. Claro que se fosse uma monarquia não tinha de se dar a este trabalho todo, que é uma maçada, diga-se de passagem. Já o pudemos ver no quadrado mágico, na TVI, a cuidar de vacas, cabras, galinhas e também alguns animais.


-O que o levou a candidatar-se?

É o dever de qualquer cidadão português preocupado! E eu sou preocupado, disso não tenham a menor dúvida. Preocupa-me saber se a Leonor Sousa já mudou de número de telefone, se o Batanete anda a dizer mal de mim, se continuo com o tacho no 24 Horas, se o Estado dá umas coroas aos agricultores por causa da seca. Sim, porque na minha herdade não chove há cinco anos (ou até mais). Eu conheço os portugueses e posso representá-los em Belém num cargo que, ao contrário do que se quer dar a entender, não tem responsabilidades de governação. No fundo é viajar, comer, falar estrangeiro e conhecer gente com poder. A única diferença relativamente ao que já faço é que como Presidente da República acontece em maior quantidade e ainda recebo para fazê-lo. E eu penso, já que tem de ser alguém, porque não eu?


-Pondera fazer uso da Bomba Atómica (dissolver a A.R.) caso tenha uma espongivite, magipose ou gases, e o Primeiro-Ministro não faça tensão de o ajudar?

Primeiro que tudo, uma pessoa do meu estrato social não lança gases. Relativamente a magiposes e espongivites já não é possível negar. Tive e com imensa frequência. Como deve saber, quem priva, como eu, com imensos animais, é alvo dessas enfermidades, até porque nem todas são de confiança, vêm lá do estrangeiro e... Ops... Quer dizer, quando falo delas refiro-me às bestas, óbvio! No entanto, tenho medicamentos e mezinhas de sobra para casos desses. Voltando aos gases, devo fazer uma confidência: uma vez por outra largo-me. Claro está que apenas na privacidade dos meus lavabos, ou quando estamos entre amigos. Nunca na presença de uma senhora. Entre amigos, é até uma ostentação de marialvismo. Eu sou um marialva e nessas situações ninguém me pára. Os meus amigos até dizem que não há ninguém com o meu traquejo.


-Em que medida se sente apoiado por um partido, um inteiro ou outra coisa qualquer?

Sou apoiado pelo PPM. É o meu partido! Sendo vice-presidente do PPM, é natural que me admirem, me amem, me adulem, me bajulem, me apapariquem, me contemplem, no fundo, se verguem perante a minha superioridade adquirida à nascença. No entanto, não almejo agregar o voto de todos os monárquicos. Sei que tal não é possível pois tenho um adversário de alto gabarito. Não podemos esquecer que temos outro candidato que pretende fazer nascer uma nova espécie de monarquia. A monarquia republicana. Não escondo que estou a falar de Mário Soares. No entanto, creio obter o apoio dos fadistas, uma vez que este país precisa de mudar de fado. Não faço a mínima ideia do que esta frase significa, mas calculei que criaria algum impacto ao dizê-lo.


-Caso tenha poderes para tal, pondera vender a Madeira? E os Açores? E o Continente?

Nunca! Não podemos vender terra que tanto custou a conquistar aos mouros e assim. Essa malta que gostaria de ver partes da nossa pátria vendida são uns rotos. A minha proposta é no sentido inverso. Proponho anexar as Canárias, as Periquitas e quem sabe as Papagaias. No fundo é uma questão de gosto. Proponho também um ataque militar e consequente anexação do Peru (até porque as ceias de Natal ficariam substancialmente mais baratas). Além disso, as ex-colónias são de uma importância tremenda. A Nobreza não andou a levar cachaporra na cornadura para nada. Temos de voltar a conquistar esses países e colocá-los de novo sobre nossa alçada. Falo também do Brasil; aquelas mulatas dão cabo de mim. É imperativo instaurar o direito de pernada e recolocar Portugal nos mapas mundiais como a coutada do macho latino por excelência.


-Coloca a hipótese de o poder lhe subir à cabeça (ou a outros locais à sua escolha)?

Na cabeça de um monárquico só entram uma coroa ou Restaurador Olex. Tudo o resto são vertigens. Eu não prometo empregos para todos nem o céu na terra. Nisso o Clero é soberano. Vou dar uma identidade a Portugal. Uma identidade e um bilhete, já agora. Não é contra ninguém, é por Portugal. E nas cabeças de Portugal faz falta Restaurador Olex. A população está envelhecida e um pouco Olex, escondia os cabelos brancos e a idade de reforma até poderia ir mais longe. Propunha até que os portugueses se reformassem pelo número de cabelos brancos detido. Nesse sentido, por exemplo, o António Calvário ainda está para as curvas. Para as curvas e para os rectos... perdão, para as rectas. E a Maria José Valério? Adiante. Não só nada vai subir a lado nenhum, como a minha presença em Belém irá contribuir para a imagem de Portugal no mundo e atrair a atenção internacional para a Democracia em Portugal, nem que seja pelo absurdo da situação...


-Já conhecia o Profi Trolls?

Não, admito que nunca tinha ouvido falar de vós. Mas, é bem possível que vocês também nunca tenham ouvido falar de mim. Mas quero agradecer esta oportunidade, uma vez que ainda ninguém se tinha lembrado de mim. Admito que a minha página na internet é insignificante, mas esperava que alguém se pudesse lembrar de mim. Nem a Elsa Raposo me telefonou. Estou triste, mas da tristeza se faz o orgulho, e do orgulho se faz outra coisa qualquer que agora não me lembro. É possível mudar! Existe alternativa (pelo menos no mundo tauromáquico)! Só a minha eleição para Presidente da República poderá fazer nascer um Portugal mais moderno e democrático, onde as soluções de liderança são aquelas que o povo escolhe (por mais estranha que esta frase possa convir, vinda da boca de um monárquico – mas se até o meu irmão aplaudiu de pé o Viva a República em plena Assembleia, o que posso eu fazer?). Já agora, quantos é que vós sois? Três? Já pensaram votar em mim? Posso tentar falar do Profi Trolls ao Birzalhão, à Júlia Pinheiro, ou até ao Moniz...

Foi a Entrevista Possível. Obrigado!

Friday, December 09, 2005

A Entrevista Possível com… Nelson Magalhães Fernandes

Nem esquerda, nem direita, Portugal e os portugueses
(um emigrante para Presidente)



Nelson Magalhães Fernandes, natural de Vouzela, nascido em 1955, é candidato a Presidente da República Portuguesa, nas Eleições Presidenciais a terem lugar em Portugal no ano de 2006. Tem cinco filhos e pondera ainda bater o número de Roberto Carneiro, uma vez que procriar é um gosto. Em 1978 emigrou para Inglaterra, acabando por regressar mais tarde para ingressar na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa. As dificuldades económicas e o pé de atleta levaram-no novamente para fora, nomeadamente para a Suiça, onde trabalha como chefe de mesa. Nelson Fernandes foi candidato da Nova Democracia pelo Círculo da Europa nas anteriores Legislativas, não tendo no total de votos o somatório do seu agregado familiar recenseado. Como bandeira apresenta a portuguesa. Defende a união dos portugueses, a defesa dos que vivem lá fora (emigrantes, não confundir com sem-abrigo) e a juventude. Acredita que a façanha de se candidatar não deixa de ser uma loucura (que o próprio acredita necessitar de acompanhamento médico especializado), embora espere que, pelo menos, sirva para passar a sua mensagem (uma vez que ainda não aprendeu a enviar mensagens escritas do novo telemóvel).


-O que o levou a candidatar-se?

Levou ou leva? Hehehe, piada de chefe de mesa, sabe como é… É um sonho antigo. Ainda hoje acordo todo transpirado. Tomo uns comprimidos e embora ainda não esteja totalmente curado, já deixei de acordar com uma faixa tipo miss e a condecorar pessoal a torto e a direito. Não sabe o que é acordar no dia 10 de Junho a pensar que tinha acabado de condecorar a Paula Bobone. A minha candidatura prende-se com a juventude que está em Portugal e os emigrantes. Um terço dos portugueses (a população portuguesa que se estima emigrada) não tem voz no que é legislado em Portugal. SAI UM RÖSTI! E nem a Mebocaina nos pode salvar. É como se nos mantivessem permanentemente constipados e roucos. Temos de reconciliar os portugueses que estão dentro com os que estão fora, e sinto ser esse o meu desígnio (além de um tremendo jeito para fazer chefe de mesa). UMA COLA PARA A MESA 3!


-Pondera fazer uso da Bomba Atómica (dissolver a A.R.) caso tenha uma espongivite, magipose ou gases, e o Primeiro-Ministro não faça tensão de o ajudar?

Quando estive em Inglaterra tive três magiposes derivado do frio. Não sei se sabe mas o frio potencia o vírus e o dia todo em pé rebenta-me as cruzes. Curei-me com vinagre em pó, colocado no períneo, a cada 12 horas. Felizmente nunca sofri de espongivite, mas o meu calcanhar de Aquiles são, sem dúvida, os gases. O meu pai, quando eu era mais moço, chamava-me o pequeno géiser (pequeno para eu não ficar demasiado pedante)! UM PRATINHO DE COUVES DE BRUXELAS PARA A MESA 5! Mas na Suiça, o gás é mais considerado; uma ou outra flatulência até fica bem no meio de certas conversas. É cordialidade, é anuência! Isso é outro factor que me entristece. Um expatriado quando se bufa é olhado de lado; em Portugal um qualquer residente larga-se e é aplaudido de pé. Não pode acontecer, e o Governo, na pessoa do Primeiro-Ministro, tem todo o poder para fazer fenecer esta desigualdade legislando nesse sentido, logo, dissolvia, sem sombra de dúvidas a Assembleia da República. SAI UM FONDUE DE QUEIJO!


-Em que medida se sente apoiado por um partido, um inteiro ou outra coisa qualquer?

Como sabe fui candidato pelo Círculo da Europa pelo partido da Nova Democracia. O Dr. Manuel Monteiro é um visionário – pelo menos ele diz que já vê melhor desde que acertou a graduação. Mas nestas eleições decidi ir sozinho. O meu apoio é a massa de emigrantes que grassa pelo planeta Terra. Mais planetas habitados existissem e mais portugueses encontraríamos emigrados. MANEL, ARRANJA-ME ESSE LAÇO, CARAÇAS! O QUE É QUE OS CLIENTES VÃO PENSAR? E LEVA O MOSCATEL À MESA 1! É o nosso fado (embora não desdenhemos uma cançoneta do Quim Barreiros)! Sinto que a massa emigrante (e aqui também uso a palavra massa no sentido de capital) pode fazer muito por Portugal. As Transferências dos Emigrantes têm um peso desvalorizado pelos governantes. A nível da Contabilidade Nacional as Transferências de Emigrantes têm a sigla TR (ou Tr). Até aqui se nota a depreciação. Onde anda a referência aos Emigrantes? Porque não TRE (ou TrE)? Eu frequentei Direito mas tive cadeiras de Economia, e não me saí nada mal. Quer dizer, nessa altura estava mais cheio e as ombreiras das portas por vezes placavam-me. OLHA A CONTA P’Ó DR. AUCHAN, CATANO!


-Caso tenha poderes para tal, pondera vender a Madeira? E os Açores? E o Continente?

Essa é uma questão que desde sempre me afligiu. E quando digo desde sempre posso perfeitamente estar a falar de ontem. A Madeira e os Açores são locais que também sofrem. Mas esses são recompensados monetariamente pelo Estado português para sofrerem. Nós nicles batatoides. A Madeira e os Açores são ilhas, e assim sendo, desde que pelo valor certo, poderia vendê-las para fazer uns anexos no meu chalet em Trás-de-Outeiro. Também podia colocar aquela fonte com a estátua do miúdo a fazer a mijoca, saindo a água pela ponta do falo, como é óbvio, que eu não tenho mau gosto. Mas pensando melhor, as telhas pretas envernizadas ou até os azulejos na fachada seriam prioritários. O VINHO JÁ DEVIA TER PASSADO DO GARRAFÃO PARA AS GARRAFAS! QUANTAS VEZES JÁ VOS EXPLIQUEI?! E NÃO SE ESQUEÇAM DE PÔR AÇUCAR E AGITAR NO FIM! Mas estou a falar de azulejos de qualidade superior. Daqueles com base lilás e com umas petúnias cien desenhadas, a acompanhar uma cabeça de javali numa cama de dossel, no canto superior de cada azulejo. O que eu gosto de azulejos pinocas. No fundo, não confirmo nem desminto. É sempre uma situação a pensar.


-Coloca a hipótese de o poder lhe subir à cabeça (ou a outros locais à sua escolha)?

Hahaha! Meu amigo, alguém que chegou a chefe de mesa não se deslumbra com o cargo de Presidente da República. Não é um cargo menor, mas não dá as gorjetas aqui do restaurant. Todos os dias lidamos com gente do mais importante que há por aí fora. Desde o Eusébio à Romana, passando pelo Tony Carreira ou até à Teresa Guilherme. Quer se dizer, não é?! Até me deu vontade de rir. EPÁ, PORRA, AS CHALCHICHAS ESTÃO A ARREFECER NA COZINHA E TU ESPECADO A OLHAR PARA A TELEVISÃO! TOCA A ANDAR! E relativamente aos lobbies, não precisam de se preocupar. O que eu passo todos os dias por causa do lobby dos bifes bem-passados versus mal-passados. Até manifestações fazem à porta. Mas eu não cedo. Aliás, nem cedo nem tarde! E à noite muito menos! Se é mal-passado é mal-passado, e acabou! Comigo ninguém faz farinha. Ainda está para nascer mó que me moa!


-Já conhecia o Profi Trolls?

Cá no restaurant, uma vez por semana, a sobremesa é isso. Eu sou-lhe sincero, prefiro leite-creme ou uma moussezinha caseira, mas conhecer, óbvio que conhecia, ou não fosse eu chefe de mesa! CARLOTA, PORRA, AS BRINGELAS SÃO PARA HOJE OU PARA AMANHÃ? QUEREM DEIXAR O FUTURO PRESIDENTE MAL VISTO NA COMUNIDADE? NÃO TARDA NADA É TUDO DESPEDIDO, Ó CAMANDRO!

Foi a Entrevista Possível. Obrigado!

A Entrevista Possível com… Nulo

O Nulo é mais que um zero!

De longe, o candidato mais idoso. Perde-se nos anais da história o primeiro voto Nulo. Diz-se olvidado e marginalizado nas sondagens e pela comunicação social. Insurge-se e não percebe como é que alguém, que consistentemente vem numa dinâmica de crescendo nos resultados ao longo do tempo, é ostracizado, até pela opinião pública. Nunca ouvi ninguém dizer que iria votar Nulo; mas a verdade é que depois aparecem nos resultados – desabafa desgostoso. Crê que os media, propositadamente, o vetam. Marcou presença em todas as eleições disputadas, descortinando-se um certo pundonor quando o refere. Como ex-libris da sua história refere o voto nulo de Cid, que caricaturou todos os candidatos no verso do boletim. É uma honra, declara. Não gosta de bolo-rei, mas adora um harmonioso graffiti abstracto, especialmente no muro de um qualquer condomínio privado.


-O que o levou a candidatar-se?

O mesmo de sempre. Protagonismo. Gosto que se fale em mim. Mas fico sempre desiludido. Os portugueses não são muito gatafunheiros. Num jornal ou numa revista são homens (ou mulheres) para fazer uns cornitos, um bigodito ou até uma barbicha numa fotografia; chegados ao boletim de voto a coisa pia mais fino, acabrunham-se. O português gosta mais de riscar portas de casa de banho.


-Caso vença, pondera fazer uso da Bomba Atómica (dissolver a A.R.) caso tenha uma espongivite, magipose ou gases, e o Primeiro-Ministro não faça tensão de o ajudar?

Felizmente sou um candidato abstracto, logo não espero ser assolado por tamanhas patologias. Mas, caso me depare com uma situação semelhante, não encontro razões para usar a Bomba Atómica. Na pior das hipóteses, vejo-me a enviar um projecto-lei garatujado com dizeres ordinários ao Tribunal Constitucional. Mais que isso não me estou a ver fazer. Talvez riscar o carro oficial do Primeiro-Ministro? Não sei, a sério que não sei.


-Em que medida se sente apoiado por um partido, um inteiro ou outra coisa qualquer?

Nesse aspecto tenho de agradecer a todos os candidatos. Nenhum deles é especialmente bonito, logo, custa menos rabiscar a sua foto. Não são propriamente os partidos os meus apoiantes. Já dos inteiros não posso dizer o mesmo. Mas digo. As eleições presidenciais são sempre uma eleição à parte. Enquanto nas outras é o símbolo do partido que aparece no boletim de voto, nestas estamos perante fotos de candidatos. Há até quem diga que é o único momento em que os políticos dão a cara. Assim sendo, cresce a vontade por rabiscar narizes ou ornamentar umas testas. A minha base de apoio encontra-se na fealdade dos candidatos. Não é de desprezar o apoio sentido pelos artistas metafísicos e absortos, embora se amedrontem um pouco na hora de anular o voto.

-Caso tenha poderes para tal, pondera vender a Madeira? E os Açores? E o Continente?

A Madeira nunca. A madeira serve para fazer lápis. Os lápis são os elementos que permitem a iniciação ao rabisco. As crianças começam a escrever com lápis. Os Açores com toda a certeza. O açor é um pássaro e como tal caga as árvores todas, desculpe a linguagem. Cagando as árvores, diminui a qualidade da madeira que irá fornecer os lápis ao garatujeiros deste Portugal. Mas para ter uma posição oficial, pergunte isso ao meu Mandatário para o Desenho Figurativo, se fizer favor. Já o Continente está fora de hipótese. O Continente vende todo tipo de elementos que permite o gatafunhar e a preços bastante em conta. Além disso o Belmiro tem uma cara bastante rabiscável, o que não posso de forma nenhuma desprezar. Não pode ser nada. Desculpe.

-Coloca a hipótese de o poder lhe subir à cabeça (ou a outros locais à sua escolha)?

Como já referi anteriormente, sou um candidato abstracto, logo não tenho cabeça. Diga-se de passagem, acreditar que, o facto de não ter cabeça (e por consequência, não pensar) pode ser um elemento a meu favor relativamente aos outros candidatos. De qualquer forma o poder nunca poderia alterar a minha personalidade. Desde muito novo que sempre fui muito nulo. A minha mãe até dizia: Nulo, vê lá se não te tornas no elemento neutro da soma e absorvente da multiplicação, à esquerda, hã!! Como deve saber a minha mãe falava do zero. Sempre fui assim! Não é um cargo desses que me vai fazer abusar. Quer dizer, uma Mont Blanc sempre é uma caneta diferente, mas mesmo assim...


-Já conhecia o Profi Trolls?

Já! É bastante apreciável. Gosto muito da forma como escrevem. Gosto especialmente da nulidade da escrita demonstrada por parte de alguns elementos. Alguns? Eu disse alguns? Oh que disparate, desculpe. Por todos, como é óbvio. Detesto segregacionistas e estava a comportar-me como tal. Têm todos uma nulidade na escrita bastante apreciável.

Foi a Entrevista Possível. Obrigado!

Wednesday, December 07, 2005

A Entrevista Possível

Sempre que os temas Serviço Público ou Pluralidade são aflorados, estamos perante uma lapalissada (ou lapaliçada, como preferirem) a relação directa com os Profi Trolls. Poderão perguntar mas que espécie de Serviço Público e Pluralidade estão para aí vocês a falar? Reservamo-nos ao direito de não responder, porque não só temos os nossos tabus, como a subida nas sondagens é inevitável após um qualquer silêncio (que se vai subir nas previsões).
...
...
...
...
Já está! Subimos π% nas projecções! Para os 66% que chumbaram no exame de matemática do 12.º ano, π=3,14 re-béu-béu pardais ao ninho! Infrutífero uma vez que não somos candidatos. Temos pena!
É nesta senda que nos orgulhamos de apresentar: A Entrevista Possível. Falamos de entrevistar candidatos a candidatos (ou pré-candidatos, ou outra coisa qualquer que inclua a palavra candidato lá pelo meio) à Presidência da República. Ponderámos entrevistar outros candidatos, nomeadamente ao ensino superior ou até do concurso de professores (uma vez que gostamos de esticar a pluralidade até ao limite – ou ao ridículo, como preferirem). Porque não levámos nós esta tarefa até ao fim? Porque só para Presidente da República contabilizámos 16 interessados. Pensámos imediatamente desistir, visto ser uma estopada do catano estar a aturar tantos gambozinos. Mas não, decidimos aguentar a panada para que ninguém nos acuse de estarmos a beneficiar a candidatura de Cavaco Silva. Certamente encontrarão nomes nunca antes ouvidos, mas garantimos que de uma forma ou de outra, esta gente, nalgum momento, pensou candidatar-se às Presidenciais 2006. Tentaremos introduzir as entrevistas com uma minúscula biografia, de modo a ninguém fazer o papel de homem-invisível.
Estas entrevistas também têm as suas regras. Como seria de esperar, o sorteio das entrevistas foi condicionado (pelo trânsito e pelo frio que se tem sentido). Decidimos ir contra todos os cânones pré-estabelecidos e pensámos enviar as respostas (ao invés das corriqueiras perguntas). Seriam então os entrevistados a escolher as perguntas que melhor lhes conviriam, ou não. Num rasgo de lucidez e clarividência decidimos não o fazer. Porquê? Porque nós assim decidimos e assim será. Colocaremos 6 questões à disposição dos candidatos que responderão na medida do possível. As entrevistas seguirão dentro de momentos.

E porque se aproxima lancinantemente a época natalícia, no final, poderá efectuar um compêndio das 16 entrevistas (e esta declaração de intenção de entrevistá-los como prefácio, já agora), encadernado a couro (retirado da rena Rudolph) e cozido à mão pelos Duendes do Pai Natal. Para isso basta enviar-nos um cheque em branco e ao portador para profi_trollls@hotmail.com (caso não assine o cheque, junte fotocópia do Bilhete de Identidade que nós não adivinhamos a sua assinatura).

Tuesday, December 06, 2005

Cardeal in pectore

Creio ter descoberto o Caredal in pectore! Falo daquele Cardeal que ninguém sabe quem é, feita excepção ao Papa. Por norma, esta forma é utilizada em países onde ainda perseguem o Cristianismo (tipo China e assim).

E agora um rufo de tambores:

Brrrumm!
Tumtum!
Brrrumm!
Tumtum!
Brrrumm!
Tumtum!

Para mim, João César das Neves é o Cardeal in pectore!

Porquê?
É preciso perguntar? É só lê-lo ou ouvi-lo (acredito até que, só de o ver se fica com essa sensação, nem que seja só de raspão...)!

Por exemplo:

"Como os contribuintes são, na sua esmagadora maioria, cristãos, tal como os professores e alunos, é normal que haja crucifixos nas salas de aulas." (texto via Propriedade Privada)

Uma pérola, uma autêntica pérola!
É o gajo! Para mim é o gajo!

Saturday, December 03, 2005

Revolução no mundo das fábulas

Em Portugal, segundo o último censo, vivem 300 lobos.

A afirmação é do investigador Francisco Petrucci Fonseca.
Depois de ler esta frase maravilhosa fiquei em choque. Não no sentido de choco dito em algarvio, mas sim aterrorizado e com um ou outro espasmo muscular nos cabelos. A minha úlcera no duodeno não me dava descanso. Constatei algo que nem nos meus sonhos mais loucos imaginei: os lobos sabem escrever! Porquê? Se não soubessem, como poderiam eles preencher os impressos? Os censos não se preenchem com uivos (pelo menos os que eu já preenchi). Resta saber como aprenderam e como agarram numa caneta. Será que o investigador Fonseca inventou um dispositivo para eles escreverem? Será que vão à escola? E os lobitos, terão inglês no primeiro ciclo do ensino básico lupino? Será que também falam?


-Oh avozinha, porque é que tens umas patas tão grandes?
-É para escrever melhor...

"A posta rota" ou "A ICAR anda um pouco baralhada"

Ratzinger não quer "padres-pederastas" nas suas igrejas!


Mas... mas... mas... Existe essa entidade abstracta denominada "padre-pederasta"? Quererá isso dizer que um padre fanchão é admitido no rego da Igreja Católica? Sempre me explicaram que a razão pela qual um padre não casava era o seu amor e lealdade estarem consignados a Deus. Toda a "lógica" que sustentava um dos pilares da ICAR (Igreja Católica Apostólica Romana) desmoronou-se.
Quero abrir aqui um parêntesis para o facto de ter usado uma sigla: ICAR. Se por um lado se assemelha a um Instituto Estatal, por outro, pode quebrar o fosso de credibilidade entre si e, vá lá, a IURD...
Voltando aos "padres-pederastas", não consigo perceber qual a diferença existente, aos olhos da ICAR, entre um padre paneleirote e um heterossexual. Aos olhos da Santa Sé, seria diferente se Zezé Camarinha ou Zé Castelo Branco tivessem decidido servir a ICAR, tornando-se curas? Zezé seria aceite enquanto Zé não? E que tal não meterem lá dentro tudo o que seja tipo tarado? Com esses é que é necessário ter cuidado, digo eu! Mas quem sou eu, não é? Não é suposto um papa-hóstias ser uma espécie de ser "assexuado"? Alguém que adora Deus. Alguém que baseia o seu amor no divino e não no terreno, porque, esse sim, é o verdadeiro busílis da questão, ou seja, o que a ICAR está a colocar em causa. Um padre não só não pode (não deve?) cobiçar o decote de uma beata apetitosa, como não pode (não deve?) ambicionar observar o sacristão em tronco nu - os exemplos são decorosos porque não quero que me penitenciem com uns Pain-nossos e umas Ave-marias quando me for confessar. Joseph, põe mas é os padres a distribuir preservativos em África e eu até te ajudo a rebentar a boca de quem se portar mal dentro da classe dos clérigos.

PS: Com a patifaria que o Sócrates fez à ICAR (retirar das salas de aula o bibelot sagrado), em quem é que os curas dirão para os devotos de cada paróquia votar nestas presidenciais? O Soares tem razão quando diz que não o estão a apoiar... Só se safará se a Maria Barroso mexer os seus cordelinhos... Quem ganhará o voto do Clero?

PS ao PS anterior: Estamos em 2005 d.C.!

Monday, November 28, 2005

Pedro Abrunhosa está algures...

Pedro Abrunhosa está, desde a noite de ontem, internado no Hospital Júlio de Matos. Há muito que se adivinhava uma crise no artista. As indicações já se arrastavam nas suas últimas músicas, mas o último single "foi a gota de água", segundo nos disse Paulo, um desconhecido. As crises de solidão arrastavam-se e Abrunhosa não encontrava quem lhe dissesse que cantava bem (não se pode condenar). Pouco tempo depois de lançar o tema, tentou suicidar-se ao ouvir os seus discos todos de uma só vez. Felizmente uma vizinha (Dona Zumbaida Viriato) ouviu e alertou de imediato as forças anti-chamada-de-atenção. Como referimos anteriormente, o último tema (segundo rezam as crónicas, alerta para o facto de Abrunhosa se encontrar lá, nada mais, nada menos que 17 vezes), trata-se de uma vã tentativa de auxílio e até de companhia. Ninguém ligou bóia e o tripeiro viu-se obrigado a roer as unhas, numa atitude claramente desesperada. Mais uma vez valeu-lhe Dona Zumbaida que ocasionalmente, observava nos seus binóculos a habitação do artista, surpreendendo-o na tentativa de suicídio. Esperam-se as rápidas melhoras, e que se deixe estar quietinho e de preferência caladinho.


Eu estou aqui
E eu estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui
Eu estou aqui


Chiiiiuu!!!!!

Friday, November 25, 2005

Agora escolha:

Depois do sucedido na escola de Gaia, decidi pôr-me a caminho e procurar pelas escolas de Portugal, duas vozes antagónicas, sobre tema tão fracturante.

Dirigi-me ao Colégio Papa Joseph Ratzinger, em Trás-de-Outeiro. Abordei uma auxiliar de acção educativa, procurando auscultar a sua opinião e o modus operandi deste estabelecimento de ensino. A dona Maria da Purificação, com uma grande cruz ao peito, concedeu-me essa graça:

-Bom dia, dona Purificação.

-Bom dia, se Deus quiser.

-Pois. A primeira pergunta que lhe queria fazer trata da forma como esta escola vê o afecto entre os seus alunos. Diga-me, já teve que intervir nalgum caso específico?

-Aqui na Joseph Ratzinger, não toleramos que os petizes pisem o risco. No outro dia vi dois moços no intervalo, no que parecia um inocente jogo de futebol. Parecia, mas observando atentamente, um dos moços puxou a camisola de outro. Nesse mesmo instante levei-o à presença do Presidente do Conselho Executivo.

-Mas... não percebo em que medida um puxão...

-Lá está! É por ninguém olhar para o que vê que se chegou a este ponto. Então não está à vista de todos que o petiz pretendia despir o colega? Óbvio que estava, dissimuladamente, a querer ver o seu peito. Um peito de imberbe, bem torneado e rijo; esta canalha tem tudo no sítio, hoje em dia... Bem, era só juntar dois e dois.

-...

-E ontem?! Tenho que informá-lo que faço parte da "Brigada Especial de Detecção de Mensagens Sexuais Subliminares entre Petizes" (BEDMSSP). Ontem, uma petiza humedeceu os lábios, enquanto discutia com uma colega a importância do π na matemática contemporânea. Inocente? Nunca! Estava, sob a forma de um qualquer código, a incitar a outra estudante a praticar-lhe um cunilingus saboroso, onde os seus corpos se fundiriam num só, após horas de carícias preparatórias malvadas, culminando este festim numa dupla penetração com dois dildos de duas cabeças.

-E a senhora acredita mesmo nesse disparate?

-Talvez os dildos só tivessem uma cabeça... É imperativo alcançar além do óbvio!

-Obrigado...

Retirei-me com o estômago às voltas e as unhas dos pés semi-encaracoladas. Tinha mais uma visita a fazer e a primeira não tinha sido o que esperava. A Escola EBI 3 vezes 9, 27, Marquês de Sade, em Bragança, esperava-me.

Cheguei extenuado. Uma aluna aguardava a minha chegada. Entrevistei-a ali mesmo, a dois metros da portaria (que estranhamente tinha posters de homens e mulheres sem roupa). A aluna de seu nome Emmanuelle, disse-me que esta sim, era uma escola onde se tinha liberdade sexual. A estudante quis mostrar-me a sala de reuniões da escola. Não percebi até espreitar. Nessa sala, encarregados de educação engalfinhavam-se com professores e PSPs da Escola Segura. Fiquei atónito. A moça continuou a visita guiada, enquanto enaltecia a liberdade de expressão e o à-vontade da sua escola. No pátio, vi três alunas semi-nuas em poses menos próprias. No refeitório, uma professora copulava com dois auxiliares de acção educativa. Num corredor, dois cães e dois gatos dão início ao se pode passar a chamar animal swing. Nesta escola até os animais são depravados. A rapariga informa-me que alguns petizes se satisfazem nas cabras, enquanto, gatos e cães são muito requisitados pela população feminina. Já meio verde, sou obrigado a visitar o ginásio: entrei num filme do Frota e da Cicciolina. Forrado a papel encarnado, cheio de camas, fumo e um intenso cheiro a sexo, mal se via quem era quem. Enquanto observava esta visão Dantesca, a rapariga que me serviu de cicerone queria o seu pagamento. Espetei-lhe três bufatadas e fugi, pois um PSP da Escola Segura tinha começado um striptease e eu nunca fui fã dos Village People.

Wednesday, November 23, 2005

"La metéo"

Ora bem... o tempo:

23/11 14h UTC
15.3ºC49%0.0mm

PORTO DE MÓS, com uma área de 260,0 km2, 24 576 habitantes e 13 freguesias, é um dos 16 municípios distrito de Leiria. Feriado municipal em 2005-06-29.
Mais? Aqui!

Zé!!! Oh Zéééé!!!
Esquece, o Zé foi para a night Porto-de-mosina e tá de coma há 2 semanas mas quando acordar, posta!

"Ê voltarê..."
(interpretação alententejana a plenos pulmões, tradução livre do "I'll be back", esse clássico do Arnie)

Tuesday, November 22, 2005

Faltas Injustificadas

Como devem ter reparado, este monte de textos sem grande nexo e sem grande visibilidade tem primado pela ausência. Relativamente à audiência deste blog, numa metáfora de trânsito, assemelhamo-nos a um cruzamento cego, onde, para se colocar o veículo em marcha dentro de parâmetros mínimos de perceptibilidade, é obrigatório o posicionamento do focinho do bólide na já referida intersecção, sob pena de acabarmos como o José Cid (muito menos a andar a cavalo).

Voltando à vaca fria, este blog tem estado em coma. Poderão, inadvertidamente, ter reparado que nos últimos tempos apenas eu posto (e mesmo assim...). Após algum tempo de reflexão cheguei a essa mesma conclusão - cerca de um mês de contemplação expectante. Resultado: fui falar com os outros elementos (?) desta coisa (Ze Halcon e JMP).

Depois de enviar um krava e um kolmi, decidi-me por um telex a Ze Halcon. Ele, delicadamente, não respondeu. Já no caso de JMP, e depois de vários telegramas cantados, optei por dois pombos-correio e duas corujas, observando que ele é um indivíduo extremamente ocupado visto a ausência de notícias. Porém, e num laivo arrebatador de perspicácia, enviei um email a cada um. Óbvio que os repreendi, injuriei-os, cobrando-lhes todas as faltas injustificadas que descontam no tempo de serviço, com especial relevância no momento da reforma. Perguntei-lhes como estava o tempo por Porto-de-Mós e, já agora, porque tinham deixado de postar.

Cerca de um mês depois (bem sei que o trânsito electrónico pode ser pior que o do IC19), ambos me disseram que por muito que tentassem só conseguiam escrever textos com princípio, meio e fim. Tinham perdido a profi! Confidenciaram-me que por mais que empregassem os meios para empreender algo significativo, só conseguiam produzir textos perceptíveis. Eram estruturados, onde se poderia até observar um raciocínio lógico, aterrorizando-os e até acabrunhando-os, sem coragem para assumir um possível fiasco e/ou escândalo sobre as costas (especialmente o JMP, que ainda não recuperou totalmente).

Fiquei desolado! Sugeri-lhes terapia e/ou cortarem as unhas (não importa de que membro). Ficaram de pensar nisso. Espero não tê-los perdido para o outro lado. JMP e Ze Halcon indagaram-me sobre o assunto Porto-de-Mós, ao que eu respondi estou aqui com uma alergia na axila que vocês nem imaginam. Neste momento encontram-se refugiados nos seus lares, em recolhimento espiritual, medicados com CDs Pan Pipe, DVDs da feira com indicações do Buda e uma VHS gravada em long play com todos os discursos do Presidente Sampaio durante a sua estadia em Belém, tendo como bónus, uma cassete áudio, com uma oratória dos seus tempos de universitário.

O diagnóstico é reservado, mas a esperança é a última a morrer, já dizia Manuel Alegre. Será que JMP e Ze Halcon voltarão aqui? Pergunta pertinente, mas quem tem boca vai a Roma, já dizia Mário Soares. Voltará a inspiração à pequenita cabeça de Profi Troll de cada um? Questão deveras atinente, porém em casa de ferreiro espeto de pau, já dizia o Professor Doutor Aníbal Cavaco Silva.

Eu vou continuar por cá com maior assiduidade, esperando que não estejamos perante uma nova pandemia, iniciada nestes dois laricas, bloguiticamente inimputáveis, por hora.

Aceitam-se alvissaras.

--------------------------------------------

Léxico:

Profi, capacidade adquirida ainda na infância, que permite a algumas criaturas desenvolverem teorias, relatarem histórias e afins, tendo sempre presente o gosto duvidoso, combinadas com um misto de inverdades e frases que só um verdadeiro Profi Troll (criatura que já domina a profi) descortina. Propensão para explanar matérias de forma semelhante a uma criatura sob o efeito de psicotrópicos.

Laricas: larilas com fominha.

Thursday, November 17, 2005

Trespassa-se

T

R

E

S

P

A

S

S

A

-

S

E



Blog de alguma influência na blogosfera de Paio Pires e Trás-de-Outeiro. Devido ao facto da falta de carências afectivas de alguns dos elementos deste ex-maravilhoso blog, procuramos interessados na cedência deste espaço de alegada visibilidade. Outra das razões que nos leva a trespassar o pardieiro é que nunca mais se descobre quem matou o António na novela e, desta forma, torna-se custoso obter criatividade de modo a lançar um ou outro conjunto de frases sem nexo.


Poderíamos ter escolhido o trocadilho terspasse, que em latim significa ter espaço. Espaço é algo que não tem faltado por estas bandas (e outras tão conhecidas como U2 ou Rádio Macau). O que sobra em espaço (e na nossa galáxia em particular) escasseia em tempo (e tem feito frio, o que, parecendo que não, aborrece sempre um pedacinho).


É a crise...

Wednesday, October 26, 2005

Guiducha R.P. no Metro

Guiducha R.P. (Rebelo Pinto, ou será Relações Públicas?) tem uma crónica semanal no jornal gratuito Metro, às terças-feiras. Quem leu, percebeu que a querida ficou piursa porque o Contra-Informação fez uma boneca da menina. Glória suprema para muitos. Vexame para Guiducha!

...tenho uma boneca que até é parecida comigo, uma loira enxuta e respondona que está sempre a repetir-se e a citar Lobo Antunes.

Até aqui, Guiducha deveria estar hiper feliz, visto não terem exagerado em nada, os habituais tiques de R.P. (a partir de agora, deixo ao critério de cada um o que entendem por R.P.).

...foi com surpresa e alegria que recebi a notícia.

Ainda bem! Fico risonho por ti! Mas, repentinamente...

...os meios de comunicação vivem cada vez mais de escândalos fabricados, falsas notícias e especulações de vão de escada dignas de alma de porteira, de facto tudo é possível. Até eu ter um boneco no Contra-Informação, essa espécie de parque jurássico do humor nacional que às vezes tem muita graça e (...) outras vezes nem tanto.

Guiducha, afinal, não observou grande remoque. Digo até que se acabrunhou em casa, com um qualquer Miguel, o mais promissor jovem arquitecto, que ganha prémios e concursos, cheio de papel e com um bruto Mercedes. Assim com a mesma facilidade que eu arroto, R.P. escreve destas.

O que eu gostava de perceber é porque é que perdem tanto tempo comigo. Sobretudo porque eu não perco nenhum tempo com estas parvoíces.

Nota-se... Olha que o Contra-Informação é só 5 minutos...

Será que os cães têm cordas vocais? Será que os cães têm cordas vocais? Será que os cães têm cordas vocais? Peço desculpa, estou a repetir-me. Peço desculpa, estou a repetir-me. Peço desculpa, mas tenho a impressão que me estou a repetir.

Para perceber tanto as repetições, como as "parvoíces", ver aqui, Segunda-feira, Outubro 03, 2005.

Como diz outro amigo meu — é tão bom ter tantos amigos — um português que vive há vinte anos em Londres, Portugal é uma ilha que por acaso faz fronteira com outro país. Eu acho que Portugal é uma aldeia...

Guiducha, tem calma. Esse moço é teu amigo porque ainda não traduziram nenhum livro teu para inglês (espero eu...) e ele não têm cá vindo muito.



Para ler a crónica de MRP ir aqui, fazer o download de 24/10/05 e ver a página 7!

Tuesday, October 25, 2005

Margarida Rebelo Pinto (amanhã)

Hei-de escrever algo sobre a crónica de segunda-feira da Margarida Rebelo Pinto, no jornal Metro... Mas só amanhã.

Friday, October 21, 2005

Direito vs Indústria

A Louis Vuitton contratou a sociedade de José Luís Arnaut para assessorar juridicamente a empresa. A Rui Pena Arnaut & Associados está entre as firmas de advogados mais bem pagas do país. O contrato tem contornos inovadores e caricatos, senão vejamos. A sociedade no seu todo recebe, por ano, 20 relógios Cartier, 1000 produtos diversos L'Oreal, 10 vestidos de noite Christian Dior, 250 caixas de Moët & Chandon ou Dom Pérignon, e 150 perfumes Lacroix. Caso a RPA & Associados cumpra as metas estabelecidas pela Vuitton será recompensado com 3 malas da nova colecção. Assim se fazem negócios nos nossos dias.


Ainda no mundo da advocacia, o mais promissor advogado do país foi promovido a Sócio de Indústria no seu escritório, o que me deixa a pensar. Se um gajo passa a Sócio de Indústria tem de começar a trabalhar nas fábricas, ter uma palavra a dizer nas reuniões da Direcção Geral da Indústria ou defender com unhas e dentes o Instituto da Soldadura e Qualidade? Um tipo estuda 5 anos na faculdade, aguenta mais dois para poder ser Advogado, e depois vai arranjar betoneiras, montar carretos de alumínio, soldar juntas ou até desenvolver um protótipo de uma máquina industrial que permita fazer o corte e soldadura por laser de películas sobrepostas de plásticos a alta velocidade. Acho mal!

Wednesday, October 19, 2005

Irritação com Torneiras

Nas casas de banho públicas tenho um arreliamento de estimação:

-Torneiras!

É com cada irritação que me deixa com os cabelos do dedo grande do pé completamente eriçados... Vou desenvolver a explicação sobre esta irritação em dois momentos: primeiro pelo temporizador da torneira e depois pela proximidade da torneira ao lavatório em questão.

Muito bem, quem consegue lavar as mãos em 2.5 segundos? Ninguém! Então porque é que algumas torneiras estão programadas para verter água durante 2.5 segundos? Para poupar água? Qualquer dia a limpeza da parte terminal dos meus membros superiores é efectuada com umas belas escarretas. Das três nove, a torneira está lá para lavar as mãos ou apenas para humedece-las? É que eu sou dos tipos que as lava! Pior, com aquele sabonete líquido que cheira a 34 Km e meio de distância (quando existe). Lavar a mão não é uma opção (com uma mão na torneira e outra debaixo de água, não obrigado)! Ninguém lava só um testículo, ou só uma mama...

A outra irritação prende-se com a proximidade entre o local de onde sai a água e a parede do lavatório. Ao mesmo tempo que lavo as mãos, conspurco-as no lavatório, visto que todos os tipos que foram apenas "passar as mãos por água" (expressão que eu abomino, de tão badalhoca) também lá tocaram. Está visto que se sai da casa de banho com as mãos igualmente porcas, não apenas pelo líquido segregado pelos nossos rins, de onde corre pelos nossos ureteres para a nossa bexiga caminhando até ao fim da linha, como temos de levar com o mijo dos outros também! Não há pachorra! Porcos!

Tuesday, October 18, 2005

Novo treinador do Sporting Clube de Portugal

Dias da Cunha vai informar amanhã a comunicação social de qual a escolha da SAD, relativamente ao treinador do Sporting Clube de Portugal. Segundo informações de uma fonte interna do núcleo sportinguista, a escolha já recaiu em Luís Campos. Segundo a mesma fonte, a escolha não foi consensual, uma vez que tanto Luís Castro (actual treinador do Penafiel), como Artur Jorge foram nomes em cima da mesa. Nome também ventilado foi Manuel José (Al-Ahly), mas o facto de estar a treinar no Egipto foi determinante para ser descartado. Dias da Cunha tem especial medo que com o caso de gripe das aves na Grécia, Manuel José tenha mais probabilidades de vir contaminado. Desta forma, poderia ser problemático, quer para Ricardo, quer para os guarda-redes dos leões.
Voltando a Luís Campos, Dias da Cunha vai ganhar no ciclo de exploração da SAD, mas pode definitivamente perder no campo desportivo. Será uma batalha perdida? Há quem diga que o mais alto dirigente esverdeado já perdeu a guerra, quanto mais a batalha... O Presidente, de qualquer forma, já admitiu que caso os jogadores queiram insultar Campos vão ter de variar, uma vez que já esgotaram o crédito no que concerne a penetrações anais.


Nota: o Egipto encontra-se a Sul da Grécia sendo separado apenas pelo Mar Mediterrâneo, como se sabe, excelente condutor de gripes.

Monday, October 17, 2005

Resultados de Fim-de-Semana

Estádio do Dragão
Trancinhas vs Fitinha: 0 - 2.

Comentário à partida:

O treinador do Porto ganhou um teste grátis na Multiopticas mais próxima, com direito a teste suplementar ao Daltonismo. A defesa do Porto é conhecida por essa Europa fora como "celulite". Diz-se que o Benfica executou uma lipoaspiração em pleno Estádio do Dragão. Há quem diga que Co não sabe o que é um lenço. E muito menos quem é o Porto e o Benfica... A verdadeira causa da escolha de Koeman para treinador do Benfica é a constante "vermelhidão" que lhe assola a face, sendo impossível vê-lo a comandar outro clube.

Segunda-feira, 11.30 da manhã. Koeman ainda está para saber quem foram aqueles tipos que jogaram de encarnado contra o Porto. Tipos esses que nunca tinham aparecido, nem nos treinos, nem nos jogos. Koeman achou uma certa piada à situação. Não tanto quando como quando fez um "albatroz" no campo de golfe da Praia d'EL Rei, mas enfim, não se pode ter tudo...


Alvalade XXI
11 Tipos (que para lá andam) vs Estudantes: 0 - 1.

Comentário à partida:

Depois de toalhas e lençóis brancos, pouco há a fazer. Mas nós tentamos sempre ajudar o próximo, por isso aqui vai:
-Naperons brancos,
-Pombas brancas,
-Ucranianas,
-O (Camilo) Castelo Branco,
-Máquinas de Lavar-Loiça,
-Baldes de Tinta Brancos (5 litros),
-Meias Turcas Brancas (sem raquete de téni cruzada),
-Ensaio Sobre a Cegueira,
-O Livro Branco,
-Frigoríficos
-A Branca de Neve,
-O Abominável Homem das Neves,
-O sorriso do Paulo Portas,
-Michael Jackson,
...enfim, assim se vê que a imaginação humana não pode ser subestimada...

Friday, October 14, 2005

FIFA, porque é que não falas português? (actualização)

Se nós agora até aprendemos inglês na primária, porque é que a FIFA não há-de aprender a falar português?
(nem que seja num daqueles cursos à distância da CEAC)

Portugal, Angola e Brasil vão ao próximo Mundial de futebol na Alemanha. São mais de 200 milhões de tipos (são que eu já contei, não precisam ir fazer contas) que não percebem nada do que está no site deles. E os tipos nem pestanejam. Pois agora estão tramados, porque esta petição (desde que chegue ao Brasil, senão não dá em nada) vai dar que falar (em português de preferência)!


PS: Não esquecer de não contar a nenhum espanhol, senão lixam-nos isto tudo...

-Ideia daqui

----------------------------------------------------

A petição já conta com cerca de 6000 assinaturas, entre as quais:

-Rui Costa - 2540
-Pedro Lima - 2465
-Carlos Manuel - 2437
-Dom Duarte de Bragança - 2684
-Paulo Carvalho - 2677
-José Peseiro - 1686
-Joaquim Oliveira - 4076
-Alexandra Leite - 4053
-Daniel Oliveira - 4106
-Fernando Rocha - 4249
-Carlos Sousa - 4320
-Nuno Espirito Santo - 4312
-Paulo Pires - 4334
-Joaquim Evangelista - 4456
-Rui Barros - 4560
-Jorge Mendes - 5040
-Carlos Queiroz - 5241
-Pedro Ribeiro - 5424
-Paulo Ferreira - 5535
-Rui Sousa - 5593

Thursday, October 13, 2005

Eu ainda sou do tempo...

...em que só cheirava a catinga nos transportes públicos depois da hora de almoço.

Tuesday, October 11, 2005

FIFA, porque é que não falas português?

Se nós agora até aprendemos inglês na primária, porque é que a FIFA não há-de aprender a falar português?
(nem que seja num daqueles cursos à distância da CEAC)

Portugal, Angola e Brasil vão ao próximo Mundial de futebol na Alemanha. São mais de 200 milhões de tipos (são que eu já contei, não precisam ir fazer contas) que não percebem nada do que está no site deles. E os tipos nem pestanejam. Pois agora estão tramados, porque esta petição (desde que chegue ao Brasil, senão não dá em nada) vai dar que falar (em português de preferência)!


PS: Não esquecer de não contar a nenhum espanhol, senão lixam-nos isto tudo...

-Ideia daqui

Com calor... muito calor!

Sinto-me defraudado! E com calor! Hoje, pela manhã, saí de casa equipado com o meu melhor kit anti-furacão. Eu devia ter ficado desconfiado, com um tempo tão normal pela manhã... Mas não, acreditei cegamente no que ouvi, ontem, em todos os serviços noticiosos. Cuidado com o furacão! Estou, neste momento, com umas calças imensamente grossas, uma camisa, uma camisola e um blusão em que nem um terrorista entra. Calor? Não, que ideia! As botas são tão impenetráveis que mal dobro os pés. Resultado: ando como um deficiente motor (não que tivesse um andar de modelo, mas ao menos não dava - tanto - nas vistas). Quando passo, a quase totalidade dos transeuntes olha-me com desdém e escárnio relativamente à minha prevenção. E o calor que tenho? O que mais vejo por aí são incautos de t-shirt e calça de sarja. Os ténis são regra. Ninguém veio de botas, só eu! Tenho portanto para mim (e para todos) que a minha televisão (e só a minha) apanhou um programa traduzido do pós-Katrina, em que lhe chamava Vince. Só pode ser. Ou então não sei... Só sei que estou cheio de calor!


---------------------------------------------------------------

São 19.00 horas e desde manhã já emagreci 5 kg! Ao menos isso...

Homem sofre!

Muitas mulheres queixam-se que os homens são infantis, por vezes mesmo pueris, só pensam em futebol e ainda exigem às mulheres que estejam sempre maravilhosas e esbeltas. Dão como um exemplo caracterizador desta infantilidade (segundo elas) o facto de, nós homens, combinarmos futeboladas com os amigos, mesmo depois dos 30, tal qual como quando tínhamos 12 anos. Esta é uma falsidade sem limites. Por isso mesmo, quero aqui, bem aqui, deixar cair esse mito:

Os homens jogam futebol numa atitude de defesa pessoal (do seu físico), de forma perfeitamente altruísta, apenas e unicamente para ficarem em forma, garbosos e sem aquela barriguinha.

Se soubessem o que custa passar uma hora a correr atrás de uma bola não desdenhavam os confortáveis ginásios que muitas frequentam.

Monday, October 10, 2005

Mike Tyson pode treinar secção de boxe do Sporting!

Depois da mocada nos queixos que Beto arrefinfou em Custódio, Mike Tyson decidiu pronunciar-se:

-O Sporting começa a fazer mais o meu estilo. Estão mais abrutalhados. Não só têm esse Beto (um miúdo com estaleca), como uma velha glória do boxe pode voltar aos ringues: Ricardo Sá Pinto. Se contratarem o Petit e puserem uma estátua de um mano a substituir a do gato, eu até posso considerar. Esse moço, o Beto, ainda tem muito a aprender. Mas bater nos mais novos é sempre boa política, custam menos a trinchar,

afirmou Mike Tyson em primeira mão ao Profi Trolls, deixando uma pergunta enigmática enquanto entrava para a limusina:

-Quem é Jaime Pacheco?

Pé-de-atleta? Insignificante!

Neste Verão, um problema maior atiçou a minha curiosidade. Vulgarmente se ouve uma conversa nas piscinas deste Portugal contendo esta frase:

Querido, não vá descalço que ainda apanha pé-de-atleta.

Tudo bem. Aceito. É possível ser contagiado por esse flagelo que me aterroriza desde puto. Sim, a minha mãe também me aborrecia com essa recorrente preocupação. É esta a razão do meu alvoroço relativamente a esta temática. Mas o meu desassossego vai mais longe. É de crer que o pé-de-atleta se propague pelo contacto com superfícies que tenham estado em contacto com um portador de tamanha enfermidade. Todos de acordo? Quem não estiver vá bardamerda. Continuando, além dos duches públicos, temos a fímbria das piscinas como Inimigo Público Nº1! É aqui que eu quero chegar (e como fui eu a escrever, acabou por não ser assim tão difícil). Quantas vezes subimos das piscinas apoiando-nos nas mãos? Muitas! E então? Não é óbvio? Porque é que ninguém fala na mão-de-atleta? É que na parte inferior dos membros inferiores colocamos um soquete e ninguém dá por nada, agora na manita não temos escape. Como podemos nós bacalhauzar alguém em tão maus preparos? E quando levarmos os alimentos à boca com a manápula-de-atleta? Passamos a ter garganta-de-atleta, estômago-de-atleta, intestino-de-atleta (grosso e delgado e outros que para lá existam) e até uretra-de-atleta. Claro que no meio disto tudo, acabamos também por ter pé-de-atleta. E depois? Esse torna-se no menor dos nossos problemas atléticos. E agora, mãezinhas e tutorezinhos deste país? Como é? Ainda estão preocupados com os chispes?

Ind, quarta força partidária!

Efemérides eleitorais:

A brincar, a brincar, em valores absolutos, esta nova força partidária, os Independentes, venceram seis câmaras! A brincar, a brincar, tem o triplo das câmaras de PP e BE juntos. O PSN ainda existe e teve 143 votos. O seu (desconhecido) presidente ruborizou e disse nas presidenciais espero ser decisivo na eleição de José Maria Martins. O PNR teve 1752 votos e ficou provado que nem todos os carecas votam no mesmo partido. Triste deve ter ficado Manuel Monteiro, uma vez que viu o seu "partido" ser ultrapassado (e de que maneira) por esse colosso da democracia portuguesa que é o Partido Humanista (2029 e 4474 votos respectivamente). Era caso para Manuel Monteiro pensar, mas todos sabemos que não tem tempo. O BE teve cerca de mais 17.500 votos que "os brancos" (149967 vs 132499).

Peniche por Shakespeare

Num jornal qualquer, num país qualquer, de língua inglesa:

By the first time, Peniche becomes red! (ler com sotaque camone)

Tradução para a língua de Camões (e minha também, ora que porra):

Pela primeira vez, Peniche torna-se comunista!

E esta hein?

Friday, October 07, 2005

Espinhas de peixe na componente lectiva

Como sabem, os professores passaram a ter o carro mais tempo estacionado à porta das escolas. Digo desta forma porque, concordando que os professores devem ter uma carga horária superior, também sei que nas escolas portuguesas não existe espaço para os professores desenvolverem outras actividades. Sabem o que acontece? Passam a maior parte do tempo que não têm aulas fazendo nada. O Ministério pretende resolver o problema de espaço enviando para as escolas, tendas. Assim que soube desta brilhante ideia tive uma visão: aquelas palhotas que costumamos ver em África com os putos sentados no chão, enquanto o professor balbucia qualquer coisa, apontando para a ardósia...


O problema passa por condições. Sucedem-se histórias na ocupação do tempo dos docentes. A última que ouvi tem bastante piada (menos para eles, acredito). Numa escola pertencente à DREL, há professores a tirar espinhas dos peixinhos, na cozinha da escola.


Qualquer dia estou a ver no plano de estudo de uma qualquer Escola Superior de Educação as cadeiras de Cozinha Alentejana e/ou Como-Tirar-As-Espinhas-Todas-do-Goraz-E-Não-Ficar-Com-As-Mãos-A-Cheirar-A-Peixe!


Com um país destes, quem precisa de ficção?

IgNobel 2005

Os prémios IgNobel deste ano são deveras interessantes (como sempre)! O meu gosto por informar todos quanto perdem tempo a ler linhas avulsas deste blogue, em plena velocidade de caracol tetraplégico, leva-me a ceder um pouco ao conceito de serviço público.

Ressalvo que (para aqueles que ainda não estão familiarizados com os categorizados prémios), as categorias não coincidem com os Nobel e variam anualmente. Este foi, de facto, um ano de colheita forte.

O IgNobel da Dinâmica de Fluidos foi atribuído a cientistas que "utilizaram princípios básicos da física para calcular a pressão que se acumula no intestino dos pinguins antes de defecarem". No fundo, quantificar a pressão produzida pelos pinguins quando cagam.

O IgNobel de Biologia foi para a equipa de investigadores canadianos, suíços, franceses e australianos que se dedicaram a catalogar os odores produzidos por 131 espécies de sapos.

O IgNobel da Física foi para John Mainstone e o já falecido Thomas Parnell, da Universidade de Queensland, na Austrália, por uma experiência que deve bater recordes de duração: desde 1927 que Parnell acompanhou o ritmo a que alcatrão congelado se derrete, caindo por um funil. Resultado: uma gota a cada nove anos. Mas uma tragédia abateu-se sobre a experiência. O cientista viajava aquando da última queda e a câmara que devia filmar o momento não o fez. Resultado, a experiência está num momento de crise, explica Mainstone.

O IgNobel da Medicina foi atribuído ao inventor dos "neutículos", ou seja, testículos artificiais de substituição para cães castrados. Mas o inventor não se fica por aqui, senão vejamos, ele disponibiliza testículos artificiais em três tamanhos e diferentes graus de firmeza. A ideia é permitir que os animais castrados não tenham problemas psicológicos.

O IgNobel da Paz foi entregue a Claire Rind e Peter Simmons, da Newcastle University, Reino Unido, por monitorarem a actividade eléctrica nos neurónios dos gafanhotos enquanto assistiam a trailers seleccionadas do filme "Guerra das Estrelas" (os gafanhotos, claro, não os cientistas).

O IgNobel da Economia foi directamente para Gauri Nanda, do MIT, por inventar um despertador que não só foge como se esconde, para garantir que o dono vai mesmo sair da cama. Sem dúvida, o Governo deveria distribui-los, promovendo e amparando a nossa produtividade.

O IgNobel da Nutrição vai para o Japão. Yoshiro Nakamats fotografou e analisou todas as refeições que consumiu nos últimos 34 anos. Parece que ainda não está contente, por isso continua a fotografar e a analisar a sua paparoca diariamente.


----------------------------------------------------------------------------------

Actualização:

Como esta temática colocou algumas dúvidas resolvi "fazer" serviço público de alto gabarito. Aqui vai a Lista dos Vencedores desde 1991 e a página do Ig® Nobel Prize.

É a vida!

Thursday, October 06, 2005

Sérgio, és de compreensão lenta?

Sérgio Conceição não compreende afastamento da Selecção Nacional!

É tão bom quando eles fazem o trabalho por nós...

-Meu amigo, tu não vais à Selecção Nacional pela mesma razão que eu não vou: não jogamos um das Caldas, percebes?

Monday, October 03, 2005

humor negro para a mesa 12, por favor

O militar que ontem se feriu com a própria arma está em coma profundo. Eu fartei-me de o avisar:


-Bernardo olha que a arma limpa-se como o nosso comandante disse. Não te ponhas a imitar o Castelo Branco...


Nunca me dão ouvidos...

Eclipse

Relativamente ao eclipse, uma pergunta martela a minha mente (e dói, ai se dói):

Os óculos que usaram vinham na Visão ou no 24 Horas?

...não é por nada, a sério! Curiosidade pura.


PS: É favor não comentar que a curiosidade matou o gato ou derivados!

Massa branca vs massa cinzenta

Segundo um estudo de uma equipa da University of Southern California, nos Estados Unidos, o cérebro dos mentirosos é diferente do das pessoas honestas, contendo mais 26% de matéria branca. Esta matéria branca ajuda, portanto, a mentir. Por oposição, quanto mais matéria branca, menos cinzenta. Escassez de recursos a quanto obrigas.

Tenho para mim que temos em Portugal matéria branca em quantidade suficiente para criar uma indústria de exportação. Só no subsector da sociedade denominado política encontramos mais brancos que cinzentos. O português é por si só bastante branco. A quantidade de pessoas que conheço (bem) que são mentirosos compulsivos deixa-me preocupado. Das situações mais hilariantes que tive foi quando juntei dois deles e começaram a disputar qual o que conhecia a história do acidente de viação mais espectacular e mortal. Foi de ir às lágrimas porque não sei se sobraram terráqueos depois daquelas histórias. Mas o que se passa com esta gente?

Sempre fomos acusados de ser um país de cinzentões. Pois bem, somos afinal de contas um país de brancos. Branco que não perde uma oportunidade de se fazer passar por que não é, quem não foi e até quem nunca será. Será?

Deparamo-nos então com um dilema de busílis colorido: Cima ou Baixo? Oeste!

Friday, September 30, 2005

"Felgueiras - Compra e Venda de Automóveis"

Curto e grosso: Fátima Felgueiras volta loura a Portugal, entra no Tribunal e sai sob a medida de coacção mínima, pronta para a corrida!

O Governo não soube antecipadamente da vinda da Fatinha. A Polícia também não. Foi tudo espontâneo. O PS não sabe nada sobre a Sede de Campanha e nega qualquer relação com o financiamento à corrida da loura. Se calhar foi um engano.

Eu não sou ingénuo, mas da primeira vez que ouvi falar em "FORNICAR", pensei que fosse um stand de automóveis.

Wednesday, September 28, 2005

Testículos

A Ronald Koeman, no jogo Manchester United vs Sport Lisboa e Benfica, faltaram apenas duas coisas:

-dois órgãos reprodutores dos animais masculinos, alojados numa bolsa, e responsáveis pela produção das células e hormona sexuais masculinas.

Relativamente ao burburinho pelo facto de a equipa inglesa não actuar com diversos titulares, não olvidar que o Benfica também actuou sem um treinador titular!

Friday, September 23, 2005

A próstata de Soares valerá 5% nas sondagens?

Mário Soares, na sua viagem ao Brasil, explicou que está muito bem de saúde, tem as suas artérias em perfeita condição, nunca teve nenhum problema cardíaco, e até a sua próstata está no sítio e de plena saúde.

Resta saber, para quem estava o candidato às Presidenciais a falar? Para quem critica a sua idade na corrida a Belém ou para a sua mandatária para a juventude: Joana Amaral Dias...

Thursday, September 22, 2005

Militares preparam nova manifestação recorrendo a cães

As associações de militares prometeram continuar a lutar "pelo direito" de se manifestarem, sublinhando que os membros das Forças Armadas "são cidadãos como os outros e devem poder exprimir" publicamente a sua insatisfação. Duas mil pessoas manifestaram-se hoje em frente da Assembleia da República contra as novas regras da reforma e do sistema de saúde nas Forças Armadas, num protesto pacífico organizado pelos familiares dos militares (maioritariamente mulheres, amantes e companheiras sexuais esporádicas). Surpreendendo tudo e todos, as associações militares prometeram futuras acções, sempre contornando o impedimento que afecta as concentrações públicas de militares, bramindo impropérios ao Governo ou espargindo insultos ao Ministro da tutela.

"A próxima manifestação será efectuada pelos cães dos militares e contamos obter uma presença superior a esta última concentração pública. O poder político pode descansar. Não comparecerão os cães-polícia, apenas cães civis. Na última reunião ficaram várias possibilidades em cima da mesa (a ponto de não caber mais nada em cima dela - e era bem grande). Já se fala em manifestações de carros telecomandados, aeromodelismo, sobrinhos afastados e até bigodes. A nossa luta não vai parar. Nem que gastemos o nosso salário em pilhas. Agradecemos novas sugestões como forma de luta contra esta política desmilitarizante e parva. É uma política parva. Raios!"

Tuesday, September 20, 2005

A Puta do Futebol I

Adaptação (muito, muito, muito livre) à realidade portuguesa, do conto de Woody Allen, A Puta de Mensa (The Whore of Mensa). Conto dividido em três actos (adaptação elogiada pela generalidade da crítica, referindo-se-lhe como uma cagada em três actos).


A Puta do Futebol

Um detective não é detective se não seguir os seus instintos. Quando me entrou pelo escritório um tipo com um bojo da Rebordosa até ao Piodão de nome Tó-Mané e colocou a nu as suas preocupações eu devia ter bebido mais um Cacique.

-Inspector Ventoinha?

-Sim!?

-Tem de me ajudar. Estou a ser chantageado.

-Conte-me tudo.

-Não conta à minha mulher?

-Vá, conte-me tudo!

-Eu trabalho - disse. - Comercial.

-E?

-Ando muito na estrada e sinto-me só, percebe? Não é o que está a pensar. Basicamente, sou um apaixonado por futebol. É claro que um gajo pode conhecer todas as broas que quiser. Mas uma mulher que saiba discutir futebol... não se encontra do pé para a mão.

-Continue.

-Bem, ouvi falar de uma rapariga. Dezoito anos. Estudante na Faculdade de Motricidade Humana. Paga-se um tanto e ela vem discutir um tema qualquer... a lei do fora-de-jogo, os frangos do Ricardo, a alta-pressão do Peseiro. Está a ver a ideia?

-Nem por isso.

-Ou seja, a minha mulher é óptima, mas não discute uma defesa em linha comigo. Ou a ida ou não do Baia à Selecção. Não sabia isso quando me casei com ela. Preciso de uma mulher que me estimule futebolisticamente, Inspector. E estou disposto a pagar por isso. Não quero uma relação, só a conversa rápida e depois que se vá embora.

-Há quanto tempo isto dura?

-Seis meses. Sempre que sinto desejo, ligo à Dona Paula. É uma Madame, ex-árbitro de futebol de salão, cursada em Desporto e professora de Educação Física durante muitos anos. Ela manda-me uma rapariga, percebe?

Tive pena do coitado, tinha um fraco por mulheres que percebiam o fenómeno do futebol. Deduzi que não seria caso único.

-Ela ameaçou contar à minha mulher!

-Quem?

-A Dona Paula. Puseram o quarto da pensão sobre escuta. Têm gravações em que discuto as opções do seleccionador nacional, a capacidade financeira do Benfica e disserto sobre o tom de voz do Ricardo. Ou pago dez mil euros ou falam com a minha mulher. A minha mulher morria se soubesse que discuto futebol com outras.

O velho negócio das raparigas de programa. Já tinha ouvido falar de um grupo de mulheres que percebiam de futebol, mas ficou tudo em águas de bacalhau - a investigação não avançou.

-Ligue aí à Dona Paula.

-O quê?

-Vou aceitar o caso, Tó. Mas ganho três garrafas de Cacique e dez pacotes de amendoins por dia.

-Não me vai custar dez mil euros, de certeza - disse ele. Num sorriso, sacou do telemóvel e marcou um número. Saquei-lho e pisquei o olho. Começava a simpatizar com o Tó-Mané.

continua...

A Puta do Futebol II



A Puta do Futebol (continuação)


Segundos depois respondia uma voz langanhosa e eu disse o que queria:

-Parece que me pode ajudar a combinar uma hora de boa conversa - disse.

-Claro querido. Qual era a tua ideia?

-Gostava de discutir sobre o Mantorras.

-Dissertar sobre o joelho ou especular sobre a idade?

-Qual é a diferença?

-O preço! O joelho implica conhecimento de medicina.

-Quanto é que isso me custa?

-100 € para o joelho. Quer uma discussão comparativa... Pedro Mantorras versus Marco Van Basten? Podia arranjar-se isso por 100.

-Ok!

-Prefere loira ou morena?

-Surpreenda-me - disse eu e desliguei.

Vesti o fato de treino, a peúga turca branca com a raquete de téni, o sapatucho de verniz e limpei a cera dos ouvidos com a unha (postiça) do mindinho. Depois consultei na internet tudo o que estava disponível sobre as lesões de Mantorras e Van Basten. Menos de uma hora depois batiam à minha porta. À minha frente estava uma jovem ruiva, de fato de treino do Fafe, com uns ténis com cerca de 15 anos da LA Gear. Nas mãos trazia duas sandes de coirato e duas minis.

-Olá, sou a Ticha.

Sabiam mesmo excitar-nos a fantasia. Rabo-de-cavalo a sair de um boné da Selecção Nacional, bolsa à cintura, almofadinha para não magoar o rabiosque.

-Começamos? - disse eu. Ela acendeu um cigarro e pôs-se ao assunto.

-Acho que poderíamos começar por falar na primeira operação do Mantorras. No fundo dissecar as opções do departamento médico do Benfica e a consequente dispensa do médico Bernardo Vasconcelos, sabendo que uma coisa está ligada à outra.

-Mas o Mantorras já tinha os joelhos fracos, assim como o tornozelo do Van Basten. Não podemos imputar todas as culpas aos departamentos médicos. - Eu estava a fazer bluff. A ver se ela caía.

-Sim, o médico seguinte também fez asneira. Além disso, os dois jogadores tiveram imensos problemas anteriormente, o que demonstra a fraca fiabilidade intrínseca dos atletas. - Caiu.

-Exactamente.

-Acho que os carniceiros desses médicos pioraram a situação de dois jogadores já de si carunchosos. Não concorda?

Deixei-a continuar. Nem devia ter 19 anos, mas já tinha o calo da ida aos estádios e da luta entre claques. Mas era tudo mecânico. Sempre que eu lhe dava uma ideia, ela fingia uma reacção.

-Sim, de facto o Cugat disse que ele nunca mais seria o mesmo. Essa é básica... como é que não me passou tal coisa pela cabeça?

Falámos cerca de uma hora e ela disse que estava na hora. Levantou-se e eu dei-lhe nota 20 (qual Marcelo).

-Obrigada, querido.

-Podes ter muito mais.

-Que queres dizer? - sentou-se outra vez.

-Faz de conta que queria duas raparigas a explicar-me a táctica de jogo do Mourinho nos jogos da época passada.

-Oh, uau!

-Mas se não quiseres...

-Terias que falar com a Dona Paula. E ficava-te caro!

Era altura de apertar com ela. Mostrei-lhe o crachá de detective e disse-lhe que ia de cana.

-Quê?

-Discutir futebol por dinheiro dá uma estadia grátis na Penitenciária mais próxima! Vais cumprir pena!

-Miserável!

-É melhor confessares! - Pôs-se a chorar.

continua...

A Puta do Futebol III

-A Puta do Futebol I
-A Puta do Futebol II


A Puta do Futebol (continuação)

-Não me entregue! Precisava do dinheiro para pagar as propinas da faculdade. Desde que duplicaram o preço das propinas vivo na miséria e recusaram-me a bolsa. Por duas vezes. Oh, meu Deus!

E lá veio o chorrilho todo - a história completa. Criada em Benfica, campos de férias em escolas de futebol, pai fanático do Fófó. É a típica miúda que não brincou com Barbies mas sim com uma bola Nike.

-Precisava do dinheiro. Uma amiga minha disse que conhecia um tipo que gostava de falar de futebol com a mulher mas não o podia fazer. Ele estava numa de Selecção! E eu disse, se ele pagar, falo da Selecção com ele. No princípio estava nervosa. Fingi uma data de coisas. Ele não se importou. A minha amiga disse que havia outros. Já fui presa antes. Fui apanhada a comentar a conquista da Liga dos Campeões pelo Porto, num banco de trás dum carro estacionado, e doutra vez fui detida e revistada no Colombo, depois dum jogo do Benfica. Mais uma e sou três vezes desgraçada.

-Então leve-me à Dona Paula. - Ela mordeu o lábio.

-O cabeleireiro do Beauté é uma fachada.

-É?

-Como aqueles compradores de iates que vão para presidente do Benfica como fachada. Vai ver. - Fiz uma chamada rápida para a sede e depois disse-lhe:

-Tudo bem, está safa. Mas fique por estas bandas.

-Posso arranjar fotografias do Pacheco Pereira a ver e a comentar um Guimarães x Braga - disse.

-Fica para a próxima.

Entrei no cabeleireiro do Beauté. A assistente veio ter comigo.

-Posso ajudar? - disse.

-Ando à procura de quem me possa fazer o corte de cabelo do Abel Xavier. Queria saber se é possível?

-Vou ver.

-Foi a Ticha que me mandou - disse eu.

-Ah, nesse caso passe lá para trás - disse. Carregou num botão. Abriu-se uma porta atrás de um secador de cabelo e eu entrei como um cordeirinho nesse trepidante palácio do prazer conhecido como Paula's.

Posters da Selecção Nacional e dos melhores jogadores da actualidade preenchiam as paredes, todo o décor cheirava a futebol. Raparigas pálidas e nervosas, de fato-de-treino e boné esparramavam-se indolentes em sofás, visionando jogos de futebol na TV ou folheando edições antigas de Cadernos A Bola, provocantes. Uma loira com um grande sorriso piscou-me o olho, indicando, num aceno de cabeça, um quarto no andar de cima e disse:

-Fanático de estilos arrojados, hein?

Mas não eram só experiências intelectuais - também ofereciam experiências emocionais. Disseram-me que por 150 € se podia ter uma relação sem intimidade. Por 300 €, a rapariga emprestava-me cassetes do Campeonato do Mundo México 86, jantar, e depois deixavam-nos ficar a vê-la ter uma crise de angústia enquanto a sua equipa (qualquer que fosse) perdia num qualquer jogo. Por 400 € podia-se ouvir um relato da bola com gémeas. Por 500 €, tinha-se o trabalho completo. Uma brasileira magrinha e morena fingia ir buscar-nos ao Colombo, víamos juntos um jogo do Benfica, discutia violentamente, em pleno estádio, as opções tácticas do treinador, insinuando que a mãe do árbitro exercia a sua profissão pela calada da noite, a céu aberto, e depois fingia rasgar o cartão de sócia do SLB (em caso de derrota) - o serão perfeito para alguns. Bela negociata. Grande cidade, Lisboa.

-Gostas do que vês? - disse uma voz atrás de mim.

Virei-me e de repente dei de caras com um verylight apontado à minha cabeça. Tenho o estômago forte, mas desta vez deu uma volta e tanto. Era mesmo a Paula. A voz era igual, mas Paula era um homem. Tinha a cara escondida por uma máscara.

-Não vais acreditar - disse ele - sou do Fafe. No entanto, nem gosto de futebol por aí além.

-É por isso que usas máscara?

-Engendrei um plano complicado para assumir o controlo da Federação Portuguesa de Futebol, mas para isso tinha de me fazer passar por Gilberto Madail. Fui a Badajoz fazer uma operação. Há um médico que dá às pessoas feições de jogadores e dirigentes desportivos - e isso tem um preço. E correu mal. Saí de lá parecido com o Miguel com a voz do Ricardo. Foi quando comecei a trabalhar à margem da lei.

Muito depressa, antes que ele pudesse lançar o engenho pirotécnico, entrei em acção. Lançando-me para a frente, dei-lhe uma cotovelada na maçã de Adão e agarrei o verylight. Tombou por terra como um saco de tubérculos. Ainda estava a choramingar quando a polícia chegou.

-Bom trabalho, Inspector Ventoinha - disse o comandante Piruças. - Quando despacharmos este tipo, a PJ quer ter uma conversa com ele. Uma coisita que mete uns jogadores amadores e umas cassetes dos Donos da Bola. Levem-no rapazes.

Mais tarde, nessa noite, procurei uma antiga cliente minha chamada Tolentina. Era maori. Tinha-se formado com distinção. A diferença é que se tinha formado em Literatura Estrangeira, com Mestrado em Literatura Subsaariana. Soube-me bem!


FIM

Friday, September 09, 2005

McD

Mais de 200 prisioneiros da base norte-americana de Guantanamo entraram na sua quinta semana de greve de fome. Os detidos mostram-se determinados a morrer de fome, para mostrarem ao mundo as más condições em que vivem e os maus tratos a que são sujeitos.

Segundo boatos ainda não confirmados, os prisioneiros estão fartos de ser alimentados a McDonalds, o unico restaurante a operar na base.

Thursday, September 01, 2005

A Pírula

O Ministério da Saúde está a estudar a hipótese de descomparticipar a pílula. Em contrapartida, quer reforçar o acesso aos anticoncepcionais nos centros de saúde, onde são fornecidos gratuitamente.
Profitrolls teve acesso ao documentod e estudo elaborado pelo Ministério de Correia de Campos onde, a certa altura, nos deparámos com a seguinte passagem:
"Este medida [descomparticipar a pílula] apenas teria, devido ao seu inegável interesse geral e a bem da saúde pública, uma única excepção subjectiva: em relação a todo e qualquer espécime humano do sexo feminino, em idade fértil, e que seja companheira de cópula, regular ou ocasional, de Luís Delgado."

Medidas Preventivas


O Governo aprovou hoje a compra de um medicamento anti-viral para tratamento da chamada "gripe das aves", uma "medida preventiva" para responder à eventual ocorrência de uma pandemia desta doença.
A partir de hoje, o "Grande Dicionário de Medidas Preventivas Profi Trolls" ficará completíssimo, com duas entradas:
- Gripe das Aves (PT): utilizar medicamento anti-viral
- Terrorismo Internacional, e coisas afins (EUA): invadir Iraque e quem mais nos surja à frente

"Zheimer"

Ao que consta, Soares já tem na ponta da língua a resposta às perguntas incómodas sobre o porquê de dizer branco e fazer preto, no espaço de 2 meses: "Zheimer... Alzheimer"
Apesar do seu aspecto de puto reguila, duvido que alguém não acredite na desculpa...

"Post Geriátrico", por J.M.Parkinson

JMP: Olhe, desculpe... queria postar se faz favor!

Sr. do Blog: O Shôr ainda é muito novo para postar, não deve ter mais que 18 anos...

JMP: Novo? E se tivesso o contrário, 81, era velho, não??

Sr. do Blog: Isso não sei, mas o "Sr-que-é-fixe" tem 48, não é? ....não!?!??!


Força Soares, estamos contigo!

Wednesday, August 17, 2005

Aprendizagem de Férias II

PT Comunicações cobrou IVA à taxa errada (o "Público" de hoje)


Eu diria mais: os Governos têm andado, desde há muito tempo, a cobrar-nos políticas à taxa errada. Muito errada...

Aprendizagem de Férias

Não existe - no mundo inteiro! - qualquer marca de cerveja que não tenha sido premiada, ao menos uma vez, num concurso cervejeiro.

Aliás, a ideia que fica é que, na criação de uma marca e, em concreto, na elaboração do rótulo da sua embalagem, primeiro faz-se a disposição da(s) medalhinha(s) de ouro e só depois outros pormenores quase insignificantes, como o nome, teor alcoólico, ou composição.

Thursday, July 28, 2005

5 candidatos num único filme

Tim Story, realizador do filme Quarteto Fantástico, já prometeu a sequela. O que surpreendeu a crítica nos EUA foi o anúncio dos actores que interpretarão o segundo filme. Além de serem portugueses irão estrear-se na sétima arte, e embora parte deles tenha experiência televisiva, nunca tiveram uma oportunidade na indústria cinematográfica.

Como Senhor Fantástico teremos Manuel Maria Carrilho. Além de se esticar como nunca, o cientista acumulará novos poderes. Terá a possibilidade de filosofar até aborrecer os vilões inimigos, lançará projectos de forma letal e está em estudo se o super-herói terá também a capacidade de mostrar vídeos com crianças para entediar os maus da fita. Bárbara Guimarães conseguiu um papel como figurante.

A Mulher-Invisível será interpretada por Maria José Nogueira Pinto (já introduzida por Story como Zezinha). Além da invisibilidade, Maria José poderá falar de forma afectada, reduzindo os inimigos a povo, até porque o facto de deter a boca torta assim o obriga. Outro super-poder confirmado é o macramé e o ponto-cruz de Zezinha, aproveitando as suas boas mãos.

Sá Fernandes interpretará o Tocha-Humana. Story admitiu que o carácter irreverente de Sá Fernandes foi decisivo na escolha do papel. Além de se imolar, o super-herói poderá infernizar a vida aos seus inimigos instaurando-lhes providências cautelares em catadupa. Será possível ver o Tocha-Humana a defender gente nas salas de cinema dentro em breve.

Ruben de Carvalho dará vida a O Coisa. A força bruta continuará a ser a sua imagem de marca. De qualquer forma poderemos vê-lo a atirar soluções aos inimigos que se atravessarem à sua frente. O processo de transformação não será tão demorado uma vez que Ruben de Carvalho já tem algumas semelhanças físicas com o herói, o que até poupa tempo e dinheiro em maquilhagem, referiu Tim Story.

O vilão será Carmona Rodrigues. O Doutor Destino continuará com os seus maléficos e infindáveis poderes, mas um novo poder vai surpreender o Quarteto Fantástico, o arregaçar de mangas promete ser letal. Este super-poder será acompanhado por um vamos a isto, que o vilão pronunciará antes de atacar cada herói. Mas o Doutor Destino terá um novo vício: o jogo, que desenvolverá em casinos errantes.

Mosca da República

As moscas mudam, mas a merda é a mesma!

Estas presidenciais vêm mostrar que a sabedoria popular anda pelas ruas da amargura. Neste caso, a merda continua, mas as moscas também! Esta história até já cheira mal!

É das presidenciais

Domingo:

-AMAFAS, o que te aconteceu? Estás com bom ar, pareces muito mais novo!

-É das presidenciais!

Segunda-feira:

-Epá, não pode ser! Tu encharcaste-te em botox, não foi?

-Não!

-Uma plástica no corpo todo e um lifting?

-Não! É das presidenciais!

Terça-feira:

-Sabes, fiquei a pensar no que disseste. Tu estás com ar de quem perdeu 20 anos, mas só me falas nas presidenciais. Afinal o que se passa? És candidato a suplente de vogal nalguma Assembleia Municipal e estás a aproveitar bem as férias, é?

-Não é óbvio? Eu sinto-me 20 anos mais novo! Voltei a usar cabelo comprido - mas só atrás - a usar roupa super foleira, tipo riscas com quadrados, voltei ao meu Mini, etc...

-Mas o que é que a bosta das presidenciais têm a ver com isso?

-Amigo, olhando para os candidatos julgo que ainda estou em plena década de 80...

Água, aguinha

A polícia está em plena greve de zelo. Se sempre pensou estacionar na rotunda do Marquês de Pombal e nunca teve coragem, é agora ou nunca! Força aí! Estou consigo (mas a ver ao longe)! Mesmo assim, a seca continua apesar duns pinguitos. Temos de racionar o bem precioso, contra tudo e contra todos. É por estas e por outras, que até não têm nada a ver com isto que me propus a partilhar o plano que coloquei em prática no sentido de retenção de águas:

-Acabou o concurso semanal de apneia no banho de emersão;

-Lavo metade da cara pela manhã, pela noitinha a outra metade é molhada;

-Os meus peixes não se têm queixado da nova Frize Morango;

-As plantas lá de casa são regadas com chichi que recolho nas várias divisões da casa, uma vez que equipei cada uma delas com um penico branco (encorajando sempre o contributo dos convidados);

-Transformei o autoclismo numa doca seca, só sendo utilizado uma vez por mês (não esquecer de comprar uma palete de ambientadores);

-Na minha habitação já ninguém toma banho, todos nos raspamos com uma plaina de enorme gabarito técnico;

-O Sumol de lavar os alimentos é reutilizado no momento de lavar as mãos e re-reutilizado para lavar a roupa interior (a única que se pode orgulhar de sentir líquido a perpassar nos seus tecidos);

-As vergonhas têm direito a uma passagem trissemanal de toalhitas para bébés;

-Proibi toda a minha família de me dar água pela barba...

Aceito (e agradeço) sugestões!

Constipações de Verão

A constipação de Verão é como uma comichão num dedo do pé quando estamos em público e de botas. É uma coisa demasiado irritante! Ui, coisinha chata, isto das constipações de Verão! É um fenómeno tão contranatura quanto o Presidente do Felgueiras ter espelho em casa. A constipação de Verão acompanha-me desde os primórdios da minha existência.

Quando ia para a escola, mais de metade do peso da minha espectacular mochila devia-se a pacotes de lenços de papel. E nem no Verão a coisa abrandava. Era ver os meus amigos a curtir o Verão. Eu também curtia, mas no meio de tanto espirro, qualquer tarefa assemelhava-se a um dos trabalhos de Hércules. Ainda hoje me constipo no Verão e lá vêm os meus amigos lenços de papel. Coisinha útil isto dos lenços, não?

Qual foi a do criador ao inventar a constipação? Mas por um infeliz acaso, não chega o câncaro e a doença dos maricas?

Ateeechim!!

...

...

Saúde...

Tuesday, July 26, 2005

Omnipotência, Omnipresença (e Misericórdia)

Muitas teorias têm sido ventiladas acerca do propósito dos ataques terroristas que se têm sucedido em catadupa. Ora a culpa é dos EUA porque atacaram o Iraque e têm uma política externa comparável ao sentido de Estado de Alberto João Jardim, ora a culpa é dos próprios terroristas que estão aborrecidos e decidiram animar as hostes. Não deixando de ter razão, não passam de causas paralelas.

Eu acredito (até porque o Nuno Rogeiro continua a abusar da laca) que estamos perante uma nova ordem religiosa mundial. Assim sendo, os terroristas são o novo Deus. Depois dos católicos me chamarem herege, os budistas sacripantas e os judeus à atenção, eu passo a explicar. As duas principais exigências para se ser Deus são a omnipresença e a omnipotência. Relativamente à omnipresença eles anden aí! Os tipos são vistos nos mais inóspitos locais, desde Londres à Picheleira, do Egipto a Trás-de-Outeiro. Não existe dúvida que eles estão por todo o lado. Se nos debruçarmos na omnipotência a conclusão é semelhante. Eles rebentam o que querem, onde querem, quando querem. Alguém os pára? As bombas não têm a sua potência? Estão imparáveis os moços...

Podem vir com teorias da conspiração relativamente à misericórdia. Ai, coiso e tal, Deus é misericordioso. Pois é! Por acaso os terroristas já atacaram a Santa Casa da Misericórdia? Claro que não, até porque eles também jogam no Euro Milhões!

Este paleio todo para explicar a causa próxima destes atentados. Ora todos sabemos que chove porque Deus chora, troveja porque Deus está irado. No caso dos terroristas, uma das 724 filhas de Osama Bin Laden casou-se. Qual a repercussão no mundo? Atentados atrás de atentados. É o modo dos terroristas exteriorizarem a sua felicidade. Há quem diga que estes atentados estavam na lista de casamento do casal, no Corte Inglés (recuso-me a dizer o El Corte Inglés, se é o já não é El e vice-versa) de Cabul (fala-se também numa cristaleira Vista Alegre, mas é melhor não acreditar em tudo quanto se ouve por aí...).

Pode ser que sim, pode ser que não! Pelo sim pelo não, já comprei burcas lá para casa e estou a deixar crescer a barba! O que foi? Não andou tudo biruta a comprar máscaras quando se falava em ataques químicos? Eu estou só a salvaguardar a minha possível imagem perante o possível novo Criador...