Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Friday, October 07, 2005

IgNobel 2005

Os prémios IgNobel deste ano são deveras interessantes (como sempre)! O meu gosto por informar todos quanto perdem tempo a ler linhas avulsas deste blogue, em plena velocidade de caracol tetraplégico, leva-me a ceder um pouco ao conceito de serviço público.

Ressalvo que (para aqueles que ainda não estão familiarizados com os categorizados prémios), as categorias não coincidem com os Nobel e variam anualmente. Este foi, de facto, um ano de colheita forte.

O IgNobel da Dinâmica de Fluidos foi atribuído a cientistas que "utilizaram princípios básicos da física para calcular a pressão que se acumula no intestino dos pinguins antes de defecarem". No fundo, quantificar a pressão produzida pelos pinguins quando cagam.

O IgNobel de Biologia foi para a equipa de investigadores canadianos, suíços, franceses e australianos que se dedicaram a catalogar os odores produzidos por 131 espécies de sapos.

O IgNobel da Física foi para John Mainstone e o já falecido Thomas Parnell, da Universidade de Queensland, na Austrália, por uma experiência que deve bater recordes de duração: desde 1927 que Parnell acompanhou o ritmo a que alcatrão congelado se derrete, caindo por um funil. Resultado: uma gota a cada nove anos. Mas uma tragédia abateu-se sobre a experiência. O cientista viajava aquando da última queda e a câmara que devia filmar o momento não o fez. Resultado, a experiência está num momento de crise, explica Mainstone.

O IgNobel da Medicina foi atribuído ao inventor dos "neutículos", ou seja, testículos artificiais de substituição para cães castrados. Mas o inventor não se fica por aqui, senão vejamos, ele disponibiliza testículos artificiais em três tamanhos e diferentes graus de firmeza. A ideia é permitir que os animais castrados não tenham problemas psicológicos.

O IgNobel da Paz foi entregue a Claire Rind e Peter Simmons, da Newcastle University, Reino Unido, por monitorarem a actividade eléctrica nos neurónios dos gafanhotos enquanto assistiam a trailers seleccionadas do filme "Guerra das Estrelas" (os gafanhotos, claro, não os cientistas).

O IgNobel da Economia foi directamente para Gauri Nanda, do MIT, por inventar um despertador que não só foge como se esconde, para garantir que o dono vai mesmo sair da cama. Sem dúvida, o Governo deveria distribui-los, promovendo e amparando a nossa produtividade.

O IgNobel da Nutrição vai para o Japão. Yoshiro Nakamats fotografou e analisou todas as refeições que consumiu nos últimos 34 anos. Parece que ainda não está contente, por isso continua a fotografar e a analisar a sua paparoca diariamente.


----------------------------------------------------------------------------------

Actualização:

Como esta temática colocou algumas dúvidas resolvi "fazer" serviço público de alto gabarito. Aqui vai a Lista dos Vencedores desde 1991 e a página do Ig® Nobel Prize.

É a vida!

4 comments:

Bart Simpson said...

De facto, não estou familiarido com estes prémios.
Faço só uma pergunta: de tão absurdas que são, estas "descobertas" são reais? É que parece tudo tão surreal...

Bart Simpson said...

correcção: "familiarizado"

AMAFAS said...

São verdadeiramente reais. Para quem pensou ser apenas um post com piada vou "adendar" o endereço dos IgNobeis! Sendo verdade, não deixa de ser surreal.

Abraço

Elvira Bill said...

Pois...e não digo mais nada...ou antes digo, o "júri" do Nobel estão todos gágás, o Nobel já não é o que era.

Piada minha. altura de dar o nobel da literatura à Margarida Rebelo Pinto;)