Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Sunday, April 30, 2006

Cristiano Ronaldo: O Pão

Amiga de Merche Romero: Como descreverias o Cristiano Ronaldo?

Merche Romero: É um pão!

Amiga de Merche Romero: Também o acho muito giro!

Merche Romero: Não é isso!

Amiga de Merche Romero: Então?

Merche Romero: Pão de forma, de marca Bimbo!

"Profiback Mountrolls"

Quem? Ora, somos 3 e eu tirei a foto. Por aqui me fico.

Friday, April 28, 2006

PUB: Preservóduro

PUB

À venda nas farmácias (e lojas dos chineses)

PRESERVÓDURO

Com extractos de pau do Armindo, aloé vera e coentros

O preservativo que faz (quase) tudo por si!
O preservativo que deixa um sorriso nos lábios!

Thursday, April 27, 2006

Puro Saudosismo ou Desaparecido/a em Combate

(um tipo que aparecia a tocar cavaquinho)

Wednesday, April 26, 2006

Laurent Robert, a verdade escondida!

Depois de apurada investigação genealógica, descobri o porquê de Laurent Robert (o maior investimento imobiliário do SLB depois da construção do novo estádio) não correr. Os pais do jogador encarnado são funcionários públicos em França. Depois desta descoberta, alguns entendidos referiram que não é de descartar a possibilidade de que a coisa passe de pais para filhos, imaginem... Estamos, portanto, perante uma doença hereditária. E andam os políticos preocupados com a Gripe das Aves. Ponham os olhos nisto, senhores governantes!

O Processo e o Protocolo, equívocos!

Portugal e os portugueses têm alguma dificuldade em aplicar Tratados, Convenções, Directivas, Protocolos, Processos, Acordos, etc. É uma questão de cultura, mas também um problema semântico grave. Um povo que diz há-des, prontos, rúbrica, xalxixa, clipses, véstoria, e utiliza a segunda pessoa do plural do pretérito perfeito do indicativo, como se amanhã já não fosse dia, tem manifestas dificuldades de comunicação e consequentemente de compreensão.


No Profi Trolls defende-se que Serviço Público passa (também) por explicar aos portugueses (até aos que vêem a Tertúlia Cor de Rosa) o que significa o quê, mesmo que venha desse local longínquo e estranho denominado estrangeiro.
Aqui vão duas ajudas. Não pretendemos explicar o que significa cada uma delas, antes desmistificar os mais recentes mitos urbanos (e no fundo, lançar a confusão em certas cabeças pensantes):


-O Processo de Bolonha não se trata da confecção do Esparguete à Bolonhesa!

-O Protocolo de Quioto não é "a forma correcta" de aplicar champô contra lêndeas e piolhos (e nalguns cabelos, sapateiras)!

Tuesday, April 25, 2006

"25 de Abril azul"

Não, não é uma variação da mítica "125 Azul", embora me palpite que desse um post engraçado, giro ou mesmo arejado e refrescante. Na realidade, ia escrever um post sobre futebol mas depois senti uma leve cólica e resolvi, nesta tarde solarenga, falar no fcp.

Folheando "A Bíblia":
"Sábado à noite, em plena varanda do Estádio do Dragão, muitos jogadores portistas entoaram um cântico insultuoso para o clube da Luz, em comunhão com os milhares de adeptos que, logo após o final do encontro com o Penafiel, se reuniram na zona das Antas para festejar mais uma conquista nacional."

É preciso dizer mais?

Talvez. Uma leve sensação de déja-vu... ah! Foi quando o spórten foi campeão! Isso mesmo. É simplesmente notável que o único denominador comum às conquistas e festejos futebolísticos nacionais seja o Sport Lisboa e Benfica. Sintomático.

Nota: Qualquer comentário azulinho a tentar desculpar o indesculpável ou no tom "sim, mas quem foi campeão, quem foi?" será prontamente censurado. Sim, incluíndo hoje. A liberdade é muito bonita mas não é para aqueles lados.
A propósito, vou penitenciar-me seriamente por ter sequer duvidado da inocência do sr. jorge nuno. Que linda notícia para se ler nesta tarde de 25/4! pc ilibado, acabou-se a fruta!
Casa Pia? Oh meus amigos: é já a seguir, é que é já... a seguir!

Thursday, April 20, 2006

O jovem senhor

Tomei o meu almoço num restaurante (pediram-me para o fazer mas jurei a pés juntos que não iria divulgar que se trata da "Adega Triunfante do Conde Barão"!) onde a dona, pessoa para os seus 60 anos, me trata por "jovem senhor".

Aliás, quer-me parecer que todas as pessoas que frequentam o dito restaurante, tenham 5 ou 105 anos, são tratadas pela mesma bitola: a de "jovem senhor" (ou "senhora", conforme os casos).

Sempre pensei que "jovem senhor" fosse, vá lá, uma designação simpática para quem é um "jovem entradote" ou um "adulto jovial", isto é, para quem tem, respectivamente, até 25 anos ou mais de 27.

E agora o grande dilema: como ficam as coisas para quem tem 26 primaveras, como é o caso deste que aqui escreve?

Pensei que hoje fosse uma boa altura para esclarecer a designação de "jovem senhor", que tanto me tem intrigado.

No entanto, quando ia fazer a pergunta sagrada reparei que a minha interlocutora - raridade de igual quilate! - estava a fazer a prova dos nove à conta da refeição!!

Definitivamente terá de ficar para outra visita...

PUB: Residencial Apneia

O facto de sermos o blog da semana na Rádio Comercial concedeu-nos visibilidade suficiente para assinarmos um contrato publicitário inovador no mundo dos blogs. Vamos ter publicidade que será colocada sob a forma de posts. São fundamentalmente empresas de pequena dimensão, assim como nós somos um pequeno blog. Esperamos que não nos levem a mal mas temos filhos para criar e pão para pôr na mesa.


PUB

No coração do Nordeste Transmontano:

Residencial Apneia

Adormeça serenamente desfrutando
a fragrância própria de uma alcateia!

Wednesday, April 19, 2006

"Sá Menino"

Um Homem Também Chora (Guerreiro Menino)

Um homem também chora, Lisboa, menina (...e moça!)
Interrompe obras, processa, batalha
Sem pensar em si próprio
P'ra defender a dama
Luta a valer, encosta o Santana (rima manhosa)

Guerreiros são pessoas, que lixam, a vida
A quem pela cidade, circula, no trânsito
E quando o que eles querem
Não está a acontecer

Precisam de um Bloco que os faça aparecer

Se aparece um envelope, debaixo, da porta
Eis que aparece o, Guerreiro, Chibinho
Em nome da Justiça
Ele usa da candura

Recusa 200 mil, faz boa figura

Um homem se humilha, se não tem, poleiro
Sua cidade é sua vida, sua vida, é a cidade
P'ra ter sua cidade
Abraça o Carmona

Sem contar ao BE, namora e telefona
(fazia-se aqui o chamado trocadalho do Carrilho... nem vos conto! Carrilho? Lembro-me de alguém com esse nome... Uups! Afinal não. Queria dizer carilho!)

Ainda vai ser feliz, ainda vai ser feliz...

Tuesday, April 18, 2006

Última Rebaixa, Última Oportunidade de ouvir Profi Trolls na Comercial

Se escapou com vida ao último fim-de-semana pascal; se não ouviu o programa sobre o Profi Trolls na Comercial (como eu o/a percebo); se se tem sentido triste e não sabe porquê, mas desconfia que é por causa da humidade; se for de outro clube que não o Glorioso; se veio aqui parar conscientemente; se gosta do Profi Trolls; se não conhece o Profi Trolls e nunca mais quer cá voltar (volto a percebê-lo/a na perfeição); se gosta de ver os Malucos do Riso, os Batanetes, o Prédio do Vasco e a Maré Alta; se quer dizer mal de alguém mas agora não está a ver de quem;

ouça (ou oiça, faça como lhe der mais jeito) textos do blog Profi Trolls declamados superiormente por Diogo Beja - AQUI

Não nos responsabilizamos por efeitos secundários adversos. Estamos desde já a avisar, porque já temos processos por falta de qualidade que cheguem!

Boi à solta nas ruas de Albufeira faz 5 feridos

No passado Sábado, um boi passeou-se em liberdade pelas ruas de Albufeira, sendo alvejado mortalmente por um agente da autoridade. O bovino teve ainda tempo para ferir 5 transeuntes, enquanto andou a monte.

Este incidente mostra a fragilidade dos sistemas prisional e policial portugueses. Se as barras das celas têm frechas, suficientemente grandes para um animal deste tamanho ultrapassá-las, está tudo dito. Mas como sou um tipo chato, prefiro continuar.
Quando um boi armado foge, não deveria ser muito complicado encontrá-lo, quer devido ao seu tamanho, quer pela sua fraca mobilidade. Não estou a ver um boi escondido em casa de familiares, num bar de Albufeira, misturado com os camones, a “mandar umas canecas abaixo”, ou atrás de um poste de iluminação enquanto um carro-patrulha o procura.
No entanto (segundo as sempre solícitas testemunhas portuguesas), a polícia demorou eternidades a encontrar a besta, permitindo que 5 inocentes (até que se prove o contrário) ficassem feridos. Um cavaleiro ainda ajudou um agente da autoridade colhido pelo escorregadio bovino, que na aflição disparou para onde estava virado – uma pessoa. Foi perceptível ouvir um popular dizer que os polícias não vêem um boi à frente!
Por fim, abateram o superno animal, vindo a descobrir que detinha em sua posse armas ilegais (um par de cornos não registado), além de se encontrar sob o efeito de estupefacientes (hormonas de crescimento).

“O MEU BLOG DAVA UM PROGRAMA DE RÁDIO” (MAS ESTA SEMANA NÃO DEU)

Opinião isenta e abalizada de um dos críticos mas acamados da nossa praça - eu próprio.

Toda a verdade sobre o programa “O Meu Blog dava um Programa de Rádio”

Depois deste Sábado, fiquei a saber que ouvidos ainda temos menos piada que lidos. Foi, com toda a certeza, um dos dias mais embaraçosos da minha vida. Embora o Diogo Beja tivesse colocado umas muletas verbais nos textos (ainda que o pudor o tenha impedido de dizer palavras tão portuguesas como “mijo” ou “roto”, num Sábado de manhã), tentando dar uma certa velocidade “à coisa”, aquilo não funcionou. Quero acreditar que os textos que eram lidos no entre-músicas tiveram a sua quota parte de culpa. Para não falar nos cortes cirúrgicos e premeditados de tranches dos textos (não, não estou a falar de cherne) que não interessavam nem ao MJ (não, não estou a falar do Michael Jackson, mas sim do Menino Jesus, embora acredite que o americano gostasse de “conhecer” o pequeno nazareno).
Resumindo e concluindo, quem escolheu o nosso blog para aquele programa bebeu umas garrafas bem valentes no dia anterior. Mas nem tudo foi mau, porque se colocassem fotos nossas no site da Comercial, a estação passaria a ser conhecida como Rádio Bestial (no sentido de nos assemelharmos a umas valentes bestas).
Agora mais a sério, tenho cólicas, diarreia e prisão de ventre. Embora tudo isto seja normal em mim, não me lembro onde guardei o colírio e assim sendo não me posso curar desta depressão pós-parto. É a idade a ataca-me a aorta.
Agora que sei que nunca mais ninguém vem a este blog, o JMP e o Ze Halcon já podem vir escrever em paz, visto que a ausência deles se devia a uma forte fobia pelo reconhecimento. Passámos definitivamente ao anonimato. Passámos a um estádio superior de obscuridade: antes “ninguém” nos conhecia, agora “ninguém” nos quer conhecer. A maioria dos motores de busca recusam a combinação de palavras “Profi” e “Trolls”. Os que não recusam, lançam um último aviso, qual antevisão do apocalipse: Tem a certeza absoluta que quer continuar esta acção, própria de alguém que não tem a quantidade mínima elegível de matéria cinzenta? Não nos responsabilizamos por danos que daí advenham!.
É agradável sentir o fim, mesmo antes do prelúdio. Esperamos não ter causado amargos de boca ao Pedro Ribeiro – o responsável pela ideia do programa emitido pela Comercial. Se acaso alguma represália recaiu sobre o comunicador, recomendamos amêndoas do Lidl, boas cumó milho.


Mensagem aos incautos: quem continuar a aparecer por estes lados, continuará a levar com estas três matarruanas criaturas.

Monday, April 17, 2006

"Humor negro para a mesa do Coelhinho da Páscoa, por favor"

Verídico...

Almoço de Páscoa, a minha Mãe a servir a sobremesa:

- "Queres açúcar nos morangos?"

- "Não Mãe, isso ainda mata um gajo!"


Epá, ainda nos rimos mas não teve piada nenhuma. Desculpem.
Condolências às famílias de todas as vítimas, da estrada e de si próprias, nesta Páscoa.
Tenham juízo na estrada.

Sunday, April 16, 2006

"Feeling Commercial"

Tirámos os óculos, tomámos banho, despimo-nos, voltámos a tomar banho (já como deve ser); houve quem tirasse piercings, rapámos os pêlos faciais, perfumámo-nos, cosemos as etiquetas de marca (de volta) na roupa e vestimo-la com garbo. Em suma: esquecemos a nossa faceta intelectual e adaptámo-nos ao nosso papel na sociedade capitalista.
A questão do momento é contratar um agente ou dar conta das encomendas sem apoio: não se afigura nada fácil.
Hoje uma rapariga chamou por mim na rua. Ainda ensaiei uma fuga ao autógrafo mas apercebi-me que era a minha namorada, que tinha ficado uns passitos para trás.

Isto não dura muito. Sábado e Domingo na rádio, segunda de volta ao normal. No sítio do costume.

Thursday, April 13, 2006

"A Sanguessuga"

Depois de meses sem postar, tornam-se óbvias várias coisas. Algumas não têm interesse nenhum e por isso vou omiti-las. Outras são que tem sido o estoicismo do Ze_Halcon a manter este blog. Assumo que eu e o AMAFAS temos sido um trastes ausentes e ainda por cima somos feios. Ou serei eu que tenho mantido isto e eles são os trastes? Bom, alguma das duas será.
Outra coisa que salta à vista é que a recente torrente (3 a contar com este) de posts se deve a querer ficar bem na polaroid quando a malta que ouvir o pugrama de rádio cá vier. No entanto, os nossos pais sabem quem posta e não posta, não me parece que me safe.

"Disclaimer"

Ui, a consciência bateu forte! Afinal, temos um público jovem e não queremos dar maus exemplos. Nem bons. Mas sobretudo maus. Cá vai:
(câmara lenta, preto e branco, jovem a vomitar ao fundo da rua)
"Seja responsável. Beba com moderação"

E porque não "beba que nem um cavalo depois de uma corrida mas leve consigo Guronsan"?
Porque só se vêem campanhas maricas? Porquê tornar a coisa pesada, tipo "Cirrose: Não é bonito."? Porque não lançar livros educativos tipo "Aprenda a estar bêbado e não parecer", "Guia do auto-implante de Fígado" ou "De Social-drinker a Alambique em 10 noites"?

Bom, isto não correu muito bem... que se dane o disclaimer, o que eu queria mesmo dizer era:
Vá lá, beba com moderação, mas beba!
Cacique!

"Office Life"

Boas!
Escrevo-vos para relatar in loco e in doido o que me está a acontecer. É véspera de feriado e estou encarcerado no escritório, a bronzear-me à custa da boa lâmpada fluorescente. Sei que não vou queimar muito mas ainda não estou nu, apesar de estar sozinho. Não seria fofo.
Voltando à vaca morna: é feriado e estou cá... simplesmente porque... não me apetece ir embora!! É que não apetece mesmo!
Sou a única pessoa (se é que me posso auto-elogiar(?) deste modo) que resiste nesta tarde solarenga e atractiva o suficiente para estar a kilómetros daqui. Pensei em acompanhar a debandada geral mas não encontro motivo forte o suficiente para vencer a inércia.
Os amigos estão todos fora de Lisboa, a caminho da Terra (não o planeta, ainda não tou nessa fase, ok?) para passar a Páscoa ou de papo para o ar na praia. Ou a dormir. Não interessa. Sei é que estou aqui e com zero pica para sair.
Entretanto, começo a disparatar e dou comigo a pensar que posso ficar aqui quase indefinidamente! Vejamos:
1. Tenho ligação à net.

Bom, depois há outras coisas...
Desportos fantásticos, desde o arremesso da bolinha colorida anti-stress, com várias modalidades desde o arremesso em distância, o coworker-sniping, derrube de alvos estáticos (inclui pessoas externas), e não podia deixar de mencionar o puro e duro jogo da bola, vulgo futebolada, que por vezes sai do rectângulo de jogo e se estende aos corredores. Depois das 16h.
Infelizmente, ao contrário dos desportos realizados fora do local de trabalho, estes não são considerados team-building e, portanto, se quisermos uma bola nova ou mandar pintar linhas de marcação no chão, não temos orçamento. Ainda há pouco tempo tivémos que usar líquido corrector para as linhas, o que não é nada fácil derivado ao chão ser de alcatifa. O economato está sempre em renovação por estas bandas. Talvez por isso a nossa equipa de officeball seja patrocinada pela Papelaria Fernandes, que nos adora. "Go figure!", ou na língua de Camões, "Vai fazer figuras". Isto não faz muito sentido... "língua de Camões"? Zarolho.
Mas esquecendo a vertente exclusivamente desportiva e continuando com a descrição de um possível way-of-life:
Posso receber pessoas, é só dizer que são fornecedores ou cliente e ninguém repara se ocupar a sala de reuniões durante umas 2 ou 3 horas, isto se deixarmos o som da Playstation baixinho.
Em termos de morfes, passa a Menina dos Bolos que traz mantimentos 4x ao dia, incluíndo sumos e salgadinhos. Sim, Existe um Multibanco cá dentro onde posso levantar € para lhe pagar, claro que pensei em tudo!! Para mais, com um pouco de trabalho convenço a Telepizza a disfarçar a caixa de Kit ADSL e até me entregam na secretária e tudo.
Chamadas à borlix para qualquer destino (para internacionais tenho que usar o telefone do meu caro colega da frente que já tem prestígio para isso, mas arranja-se!) são um must. Quando ao soninho reparador, posso adiá-lo quase indefenidamente recorrendo à máquina de café, mas há sempre uma sala de reuniões ou armário prontos a acolher um momento de fraqueza. Já me esquecia da TV, tão importante com o aproximar do Mundial. Check! A propósito, da Liga Betadine já nem se fala, a única Equipa de Futebol está em terceiro e isso diz muito. Ou melhor, diz que estamos a jogar mal como a loura holandesa deve jogar golfe. Ninguém me tira da cabeça que o gajo passa o jogo a olhar para a relva e imaginar que está no green. A olhar para a bandeirola de canto... a apontar... vai ser hole in one!! Porra! O Simão falhou outra vez! Mas isso agora não interessa.
Benne, cá continuo eu na minha chaise curte (não apenas por ser curta mas porque é mesmo muito fine) a matutar sobre a minha experiência que começa a rasgar a fronteira do laboral. Porquê? É que cá dentro tenho amigos, tão a ver? Brincam com pistolas de água desde que saiu o filme da costa partida mas no fundo são malta porreira. Jogamos PES fora do escritório. Jogamos PES no escritório. Insultam-me. Somos mesmo muito amigos.
Resumindo, dá para viver cá dentro, mas claro que é muito mais gira a vida aí fora. Aqui não há alcool.
Alcool? (luzinha a acender na cabeça, olhar sonhador e sorriso demente)

...FUI!!

Wednesday, April 12, 2006

DEF:

"Def:"

Era assim - alta voz, misturade solenidade e provocação - que um professor meu de matemática iniciava pequenos ditados de duas linhas sobre matérias tão nobres e das quais já mal me lembro, como sejam equações de primeiro e segundo grau.

O "Def:" funcionava, obviamente, como diminutivo de "definição" mas também de "deficiente".

Que é o que me traz aqui hoje: os deficientes.

Acredito que Portugal deva ter das maiores concentrações de deficientes do Mundo. E não falo daqueles que têm problemas físicos ou mentais congénitos. Falo dos deficientes do dia a dia, daqueles inadaptados a qualquer função, seja ela qual for, desde que implique o minimo esforço racional, intelectual, crítico.

Aliás, o local onde trabalho poderia ser considerado uma colónia desta gente. Pessoas que até cursos superiores têm mas que, por mais simpáticas que possam ser, não passam de verdadeiros burros com palas.

A única solução: paciência em doses industriais e não delegar trabalho excepto se estritamente necessário (tipo: a Terra vai explodir!!)

Acho sinceramente que já o meu professor de matemática, interiormente, o sabia: uns são deficientes (o meu saravá para eles!), os outros são meramente "defs".

Profi Trolls na Rádio Comercial (ou vice-versa) - Sábado das 12h às 13h

Atenção, no próximo Sábado (dia 15 de Abril), o Profi Trolls vai dedicar uma hora dos seus textos à Rádio Comercial. Vamos passar a escrito alguns dos melhores programas desta estação de rádio, das 12 às 13 horas (com repetição no Domingo às 18 horas).

Notícia de última hora:

Pedimos imensa desculpa aos (três) leitores. Afinal será a Rádio Comercial a fazer um programa (O Meu Blog dava um Programa de Rádio) sobre o Profi Trolls, com a duração de uma hora (dizem eles), no horário anteriormente noticiado.

Programa das festas:

-Serão lidos textos do Profi Trolls por personalidade ainda desconhecida. Temos a secreta esperança que a voz escolhida seja a de Fátima Campos Ferreira (a casa viria abaixo quando Fátima apresentasse como blog da semana, Os Pdofitdolles), mas não nos admiramos se o castigo recair sobre Maria João Seixas. No fundo, de gaguejo em gaguejo, talvez se faça o programa com apenas dois textos.

-Os três latifundiários desta propriedade farão três stripteases, saltarão à corda em trajes menores, tentarão contactar o espírito de Camilo de Oliveira, apelarão ao fim da picada, promoverão Teresinha (a nova Santa da Ladeira) e farão um peditório cujos donativos reverterão a favor da toxicodependência na terceira idade.

-Tudo isto, ao vivo e a cores. E daí talvez não, porque sendo um programa de rádio, só se ouve, não se vê. Conclusão, não vai ser ao vivo, mas apenas a cores.

AMAFAS, JMP, Ze Halcon




Como esperado, a Rádio Comercial libertou-nos da presença in loco nos seus estúdios. Depois de muito especular sobre este assunto, chegámos à conclusão que os nossos textos são menos feios, menos parvos, menos enfadonhos, menos estupores, mais fotogénicos que nós. É com alguma naturalidade que aceitamos o facto de lhes ser dado o protagonismo, ficando nós na sombra (o que até faz bem, porque este Sol de Primavera é o diabo).

AMAFAS

"A Anacom já declarou morta a gama hertziana em que emite a Comercial, com efeito durante todo o dia de Sábado, só para ter a certeza. Qualquer aproximação à frequência designada poderá causar ataques de choro, pés chatos ou mesmo sportinguismo."

JMP

Meanwhile, sabendo da potencial subida em bolsa devido à exposição mediática em vista, Belmiro resolve lançar a sua OPA diária (para se manter em forma) sobre o fantástico espaço virtual dos três bacorinhos-incontinentes-verbais. Mau negócio. Consumindo todos os recursos na operação, a PT fica livre das garras tripeiras e premeia os Trolls com lugares de garagem e assento permanente no Conselho de Administração, isto sem contar com 1/2 Golden Share para cada um.
Não sabemos se voltaremos a escrever neste blog, em virtude de estarmos ocupados a conduzir despedimentos em massa e dobrar aviões de papel.


JMP

Sejamos sérios, vamos aos números: 1 Blog/Chafarica - 1 Rádio - 1 Hora de baboseiras - 3 Trolls - 4% Piada - 101% Benfiquismo - 0 Unhas encravadas nas últimas 24h - 6 Macieiras no bucho antes de cada momento criativo - 3 Fãs/3 Mães... coincidências? A Guiducha Rebelo Pinto que vos explique.

JMP

P.S. Estamos a qualquer momento à espera da confirmação de que se trata de uma partida de mau gosto. Caso seja, replicaremos com ar sobranceiro: "Já sabíamos que era uma brincadeira. Afinal, nós não temos espírito Comercial, somos intelectuais a tempo inteiro. Sorry".

JMP

Pessoal, está confirmadíssimo: a leitura dos nossos textos não vai ser gravada! Portanto, momento radiofónico de alto calibre, que inclui ainda tradução simultânea gestual servo-croata e serviço volante de pequeninas sandes de torresmos, acompanhadas de chá de menta.

Ze Halcon

Monday, April 10, 2006

Voltei, voltei

Daqui trazem-me as boas novas de terras mexicanas.

Deste lado, entre Rio de Janeiro e Cascais a distância é também pouca.

Hoje novamente faço-me à estrada: os dias do silêncio terminaram.

Venha a palhaçada!


A importância do Papel Higiénico

Tema recorrente por aqui é a casa-de-banho, a casinha, o quarto-de-banho, o lavabo, o sanitário, e o que por lá passa (ou deixa de passar). Todos conhecemos aquelas estatísticas relativas ao tempo da nossa vida que é preenchido com algo relevante como dormir, trabalhar, estudar, etc. Na estatística da minha vida, o tempo que passo na casa-de-banho, nomeadamente em momentos de natureza escatológica, é de enorme monta. Com uma média diária a rondar os 30 minutos, levo a instalação sanitária muito a sério. Não sou capaz de entrar, fazer o que tenho a fazer e sair, sem um último olhar.
Não será de estranhar que eu tenha uma relação de amor-ódio com o fundamental papel-higiénico. Foi, é, e será um dos azimutes da minha vida. De que modo? As grandes escolhas da minha vida basearam-se numa visita a instalações sanitárias e na consequente inspecção ao alvo papel.

Passo a explicar. Quando passei a ter capacidade de decisão, a qualidade da folha comandou a minha vida. A primeira grande escolha terá sido a Universidade à qual me iria candidatar. Enquanto outros escalpelizavam médias de entrada, saídas profissionais, currículo dos professores, proximidade geográfica, prestígio, eu adoptei outro critério. A escolhida foi a que apresentou o papel-higiénico mais magnificente.

Os meus pais tiveram que mudar para um papel de folha décupla, importado da zona de Caxemira. Caríssimo, mas ou era isso ou perdiam o filho. O que interessa ter dinheiro no banco, quando não se tem qualidade de vida no momento da limpeza do entre-nalgas?

A minha namorada conquistou-me com um papel-higiénico faustoso. Depois de sair daquele quarto-de-banho tinha decidido: aquela era a mulher da minha vida!

Quantas pessoas não perderam a minha amizade (e num ou noutro caso mais grave, a deferência) porque descuravam a qualidade do precioso papel?

Há quem faça dezenas de quilómetros para uma faustosa refeição num qualquer restaurante. Óbvio que também gosto de uma farta comezaina, mas a patuscada começa depois. Há que saber distinguir entre uma folha dupla nacional e uma folha dupla das terras altas!

Saturday, April 01, 2006

Foi hoje! (COM ADENDA)

Depois de muito tentar, desisti. Vociferei, enviei e-mails, dirigi vocábulos do mais vernáculo que conheço, procurei (uma e outra vez), pedi. Depois de muito tentar e de nada alcançar, decidi retirar os privilégios de Administrador ao JMP e ao Ze Halcon (situação insólita, visto ter sido o JMP o criador físico do Profi Trolls). Acabou! Foi complicado do ponto de visto psicológico clicar em Settings, de seguida, carregar em Members e depois de sentir os olhos em lágrimas, retirei os vistos de Admin. do JMP e do Ze Halcon. Pouco depois, apercebi-me que me tinha entrado fumo para os olhos - pedi ajuda a um cigarro neste processo doloroso - e daí os olhos lacrimejantes.

Saudosismo. Quando iniciei a minha aventura no Profi Trolls, uma das minhas primeiras façanhas foi eliminar-me como administrador deste blog, impossibilitando-me de ter acesso a tudo aquilo a que tinha "direito". O costumeiro salvador foi o JMP, cromo informático de serviço. Entretanto, fiquei a saber que bastava um cilc. Obrigado!

Uma vez que já não são membros de pleno direito desta casa, tomo a liberdade de espargir publicamente quem é quem:

JMP: De sua graça Joaquim Martins Pavão, enfermeiro de profissão, tem 32 anos e nasceu em Pias. Divorciado, tem dois filhos, o Carlos e o Paulo. Gostei de escrever contigo e como tu dirias: toca a andar que a tartaruga já aí vem, ênfase!

Ze Halcon: De sua graça José Halcon, dançarino de profissão, tem 29 anos, nasceu em Burgos e aos 10 anos descobriu este belo país que é Portugal. É casado com a Paulina e tem o Manuel de 3 anos. Gostei de escrever contigo e como tu dirias: pé na tábua, marujo de água doce!

Podem pensar que poder-se-ão desforrar, expondo a minha identidade. Só que alguém fez "o favor" de fazê-lo (famoso, heheheh, deixa-me rir), logo não me podem perturbar por aí além. Sem ressentimentos? Vemo-nos no Benfica, nas jantas, nos copos, onde calhar...

Quem quiser considerar esta atitude uma revolução está no seu direito; eu prefiro chamar-lhe evolução (ou frustração)!


--------------------------------------------

Adenda (06/04/2006):

At 5:44 PM, Rui Castro said...

bela mentira p dia 1 de abril


O Rui Castro chegou lá. Parabéns! E tanto o JMP como o Jose Halcon vão voltar a escrever aqui brevemente.