Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Monday, February 21, 2005

"A Redoma"

"O meu filho está deprimido e não vai às aulas."
Em português: um professor deu-lhe má nota logo no dia em que a equipa dele levou uma coça a jogar futebol. Não se faz. Prendam o prevaricador e o miúdo faz outro exame.

"A minha filha tem más notas a matemática mas é por causa da professora!"
Traduzido: É atrasada mental e não vai às aulas porque está demasiado ocupada a tentar engravidar aos 11 anos. É muito independente.

"O meu filho está muito doente."
Na nossa língua: não tomou os fortificantes e comprimidos para o stress de manhã e está um bocado pálido depois de estar 14 horas a jogar Playstation.

Doenças? Claro!
Aquelas doenças maricas que os putos têm todos hoje em dia e que no meu tempo nem sequer existiam.

Ou será que nem hoje existem? Pois... é capaz.


Putos hiperactivos? Isso no meu tempo era um vivaço ou um reguila ou simplesmente um avariado da touca! Mas não... hoje é hiperactivo e protegido como tal.
Por amor de deus, deixem-se de mariquices. Quando era miúdo, caí de árvores, fugi de cães, cortei-me em arame farpado, esfolei joelhos a jogar à bola, comi doces em barda e quem dera a metade dos putos de hoje em dia ser tão saudáveis e felizes como eu fui.

Hoje em dia, todos os putos são sobredotados e hiperactivos e têm jeito para a pintura e para escrever e para o raio que os parta. Oh joy! Se quisermos muito muito até têm problemas de concentração e depressões e tudo. Ah, e falta de vitaminas.

Um pequeno dicionário para as pessoas da minha geração:
Artista/Criativo - Está-se a cagar para a escola.
Deprimido - Não lhe dão atenção.
Falta de vitaminas - Come fast food.
Hiperactivo - Reguila.
Socialmente inadaptado - Cromo da escola.
Tem personalidade - É um vândalo malcriado.
Problemas de concentração - Estúpido.
Sabe muito de computadores - Playstation e chats na net. Atrofiado.
Sobredotado - Puto normal de classe média/alta, encorajado pelos pais.
Stressado - Cansado.

Ajudam-me a acabar?


Façam um pequeno teste... leiam a coluna da esquerda de seguida e, depois, a da direita. Vêm o gap geracional?


A propósito, já repararam que na Etiópia não há anorexia? É magia.

Que muitas pessoas têm depressões e que nem param para perceber que as têm?
Que seguem a vida, em vez de estar à espera de atenção?
Que aqueles que de facto precisam de ajuda médica serão 5% dos casos?
Talvez seja um exagero, mas não andará assim tão longe.

Deixem-se de mariquices.

1 comment:

lifextension said...

aqui vai a minha humilde contribuição para a definição do fosso geracional.

síndrome de asperger = puto estúpido com fixação por temas ainda mais estúpidos (dinossauros, astronomia). Dinheiro fácil nas consultas de psicólogo.

hiperactivo = puto mal educado cujos pais nunca deviam ter sido pais porque não o sabem pôr na ordem (prova evidente: só ataca rapazes). Dinheiro fácil nas consultas do psicólogo.

Obeso = puto que só come trampas e joga consolas. Dinheiro fácil nas consultas do psicólogo, dos tipos que aplicam bandas gástricas e dos nuticionistas.