Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Monday, May 08, 2006

Portugal e a Crise: considerações empíricas

O nível de vida dos portugueses está, de facto, a diminuir a olhos vistos. Pelo menos é o que se pode ler nos olhos dos portugueses. Quem não se lembra das entrevistas na baixa lisboeta todos os Natais? Não há um único lojista que não diga algo como:

-Ui! Não se vende nada! Os fregueses não têm dinheiro e assim sendo, nada feito. Andam todos à espera dos saldos, é o que é.

E por fim, a frase por que todos esperámos:

-Ainda está pior que o ano passado!

A recorrência das queixas dos comerciantes pela altura do Natal, só encontra paralelo nas escolhas dos filmes transmitidos pelas estações de televisão generalistas portuguesas, nesta mesma época natalícia. A frase está pior que o ano passado está para o comércio como o Sozinho em Casa está para a TVI. Estou a falar bem ou não estou? E eu pergunto-me se todos os anos piora como é que existem ainda tantos estabelecimentos abertos? Não esperem resposta, porque se a soubesse não me estava a perguntar. A preocupação é tamanha que o meu temor já se estendeu às lojas dos chineses (apenas exequível num cenário de catástrofe natural e/ou regresso de Santana Lopes ao cargo de Primeiro Ministro).
Voltando ao que interesa (o lobbie do teflon no movimento global pro-piercing), decidi fazer um inquérito de rua para dissipar as minha dúvidas relativamente à proclamada pobreza franciscana:

[Num supermercado qualquer, mas de preferência o do CI - sem El no início, que eu embirro]

-Boa tarde, posso fazer-lhe uma pergunta?

-Pode.

-Tem sentido na pele a crise de que tanto se fala?

-Mas isso já é a segunda pergunta.

-Como?

-Já vamos na terceira.

-Não estou a perceber!

-Esqueça. Claro que sim. Para lhe dar um exemplo esclarecedor, eu tinha por hábito comprar caviar Beluga, conhece?

-Sim, de nome. Deixou de comprar caviar?

-É parvo ou faz-se? Claro que compro, mas agora só tenho poder de compra para caviar de marca branca. O melhor é o do Continente, mas de quando em vez acaba por ser do Dia, do Lidl ou do Plus, porque são mais perto da minha casa.

-Não sei o que dizer...

-Nem eu! Os convidados das minhas festas ainda não se queixaram, mas vai chegar o dia e eu não saberei o que dizer. Talvez diga algo relacionado com a Gripe dos Peixes...

-Estou a ver. Mais alguma situação de crise que queira partilhar?

-A mais dramática é a questão das férias. Acabou-se o mês de férias em Singapura, nas Seychelles, no Mónaco, no Dubai na Austrália ou em Miami...

-É, de facto, um drama. Mas 15 dias no Algarve é possível, não?

-Isto é para os Apanhados? Faz com cada pergunta mais parva! Claro que não vou para o Algarve. Também não sou nenhuma sem-abrigo. Vamos até Nova Iorque, Paris, um cruzeiro nas Caraíbas, Bazaruto ou 15 dias na Polinésia. Um drama... Ai as horas. Tenho cabeleireiro do caniche daqui a meia hora.

-Não podia concordar mais: um verdadeiro drama...

2 comments:

BlueAngel said...
This comment has been removed by a blog administrator.
BlueAngel said...

O que eu gostava de ir ao Bazaruto!!!! Ai... ai.... há por lá uma rede que chama por mim todos os dias!!! Tenho a viagem combinada com data indeterminada, porque , por agora, não temos tido tempo. Talvez quando a Halcon ou a Marmara começarem a operar por lá lol