Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Saturday, June 30, 2007

Festa Brava

Eu gosto de Corridas de Touros! Isso que fique bem claro. No entanto, alguns pormenores desta arte deixam-me inquieto. Desde logo a indumentária dos intervenientes.

Quem acredita que um tipo com uns calções do irmão mais novo (onde a tomatada é visível do espaço sideral, a olho nu), meias de renda de bilros até ao joelho e um colete com um padrão do Kilo Americano, é um autêntico macho latino? Acho difícil! No entanto, são eles os forcados.

Quem acredita que um tipo que veste meias de lycra cor-de-rosa, um colete e calças que mais parece um candeeiro e um chapéu de gosto bastante discutível, não abafa a palhinha? No entanto, são eles os toureiros a pé.

Mas tudo isto é desculpável. É a tradição, diz quem sabe. Se se sabe, eu acredito.

Passemos então por cima da real vestimenta da Festa Brava. Passemos ao que realmente me apoquenta: a volta à praça!

Já todos repararam, durante a volta de consagração, que o público tem por hábito arremessar tudo o que tem à mão, na direcção do cavaleiro e do forcado. Camisolas, ecopontos, casacos, escovas de dentes, sapatos, perus, peluches, tabaco, estojos de pedicure, xailes, fraldas, pneus e os mais arrojados flores.

Começa aqui a minha inquietação. Quem é que escreveu que só as flores é que são para ficar na posse dos alvos dos arremessos? É habitual observarmos outro fenómeno: o devolver das peças. Porquê? Se eu atiro um LCD para o meio da praça, quem é o forcado para mo devolver? Se atirei foi porque quis. Não foi o inteligente que me obrigou.

Aqui entra outra inquietação. É verdade que forcado e cavaleiro devolvem as peças de roupa. Mas porque é que o fazem tão mal? Muitos deles têm anos de experiência, e no entanto, nunca poderiam fazem da devolução a sua principal actividade. Eu proponho a entrega de tal tarefa a profissionais.

PS: Tenho pena dos peões-de-brega. São uma espécie de escravos na volta à praça. Enquanto carregam as suas tendas amarelas e cor-de-rosa no braço (deduzo que durmam no parque de campismo mais próximo) ainda têm de apanhar tudo o que cai na areia, entregando ao forcado e ao cavaleiro para fazerem a bela figura de devolverem os objectos de forma apalhaçada ao público.

9 comments:

Rasputine said...

Daí também que não se deva pôr em causa a masculinidade dos jogadores do Glorioso quando no ano que vem trajarem de rosa...

AMAFAS said...

Há que convir que é a cor da discódia. No entanto, aceito críticas dos andrades.

Já dos lagartos me custa um pouco aceitá-las. Que eu saiba, o SCP é o clube dos "betos". E eles orgulham-se disso como se já não tivessem lugar na Arca de Noé (mesmo os que de betos têm pouco). Não nos podemos esquecer que o traje oficial do "beto" é o polo cor-de-rosa. Quando de fato, não desperdiçam oportunidade de usar a camisinha cor-de-rosa (e uma ou outra vez a gravatinha a combinar).

Por isso, calai-vos lagartos e deixai-nos "abetalhar"!

AA said...

OFF-TOPIC - com desculpas:

Caro leitor/comentador do blogue Spring Gold (http://spring-gold.blogspot.com/):

No post Campanha a sério..., o blogger Kanoff escreve: Uma coisa é certa: copiar não é nada bonito.

Acontece que este texto em si é um plágio do post "Campanha a sério..." de Francisco Almeida Leite no blogue Corta Fitas

O autor foi devida e atempadamente avisado para (num primeiro comentário, não aceite) identificar com a proveniência todos os posts plagiados do meu próprio blogue (A Arte da Fuga); verificando eu que todos os posts do Spring Gold são integralmente plagiados, imagens incluídas, exigi (em comentário que foi igualmente ignorado) que fossem retirados todos e quaisquer posts do AADF, e que Kanoff comunicasse o facto aos seus próprios leitores.

Uma vez que o aviso não foi atendido, venho portanto dar conta desta conduta imprópria.

Cumprimentos,

António Costa Amaral

PS : uma simples procura no google descobre facilmente a proveniência dos textos do Spring Gold, uma vez que todos os textos foram copiados de referências da blogosfera. (impressionante, até copia do José Pacheco Pereira e do Francisco José Viegas - sempre sem identificar a fonte)

blackangel said...

és um rapaz muito inquieto...
conheces a kanof? plagiou o Pacheco..
e anda um simples mortal a dar a volta à praça só para anunciar que o touro vai para o curro juntamente com as vakas...é obra!!!!

Bart Simpson said...

convenhamos que não gosto de touradas, destas, e podiam acabar com elas. mas isso, para agora, não interessa nada.

a verdadeira inquietação é essa: a cor. que merda mais larilas para uns gajos tão supostamente entesados...

AMAFAS said...

Bart:

É precisamente por isso que não tem qualquer problema usar o cor de rosinha: porque somos uns entesados do cacete!!!!

Black Angel:

Percebi isso do Kanoff sim senhor, mas o que é isso comparado com o peão-de-brega? Ainda falam do pobre do toiro! Tomara o peão-de-brega levar umas bandarilhas valentes e não andar a fazer aquelas figuras parvas. Pelo menos não aparecia vestido naquela figura!

Trintapermanente said...

Eu só assisto não participo :)
peões de brega nao conheço nenhum.
Nenhum que pegue o boi pelos cornos (figurativo, convenhamos...)
Beijo

Lorenzetti said...

De facto o que se safa é mesmo o cavalo.

winlotto said...

Ive read this topic for some blogs. But I think this is more informative.