Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Thursday, June 01, 2006

Tráfico no Rock in Rio (para começar)

Muitos já devem ter sofrido na pele (mas especialmente no binómio nunca antes enunciado garganta/carteira) a ditadura que é não se poder entrar, em determinados e certos recintos, com tampas nas garrafas. Tenho a solução! Dirigi-me às Finanças mais próximas da minha área de influência e alterei a minha actividade (de Editor de Obras Próprias para Especulador de Tampas)! A partir deste fim-de-semana, em qualquer evento que a minha pessoa (e uma ou outra vez, eu próprio) esteja presente, vai ser possível adquirir tampas para as vilipendiadas garrafas. Entrar apenas com tampas é como tirar um chupa a uma criança e depois devolver-lhe: é parvo e não tem piada! Mas eu vou fazê-lo! É um nicho de mercado ainda não explorado. Não esperem que dê borlas; cinquenta cêntimos por tampa e faço menus familiares. Em caso de dúvidas contactar a quem de direito! Se não estiver, carregar no esquerdo, que costuma passar os dias em casa.

4 comments:

BlueAngel said...

Mas tens de ter cuidado com a chamada "candonga". Ontem um amigo meu já foi para o RiR com tampas escondidas para colocar depois na garrafa lá dentro. lol

AMAFAS said...

Esses tipos...

Por acaso esse senhor tem carta profissional? Não tem! Anda eu em workshops de Especulação Tampística para quê? Para vir este género de gente arruinar-me o negócio! Apre!

Obelix said...

Por acaso fiz o mesmo à dois anos, entrei com as tampas no bolso...

AMAFAS said...

MAU!!!!!!

Estão a roubar-me o negócio!
Ao menos sindicalizem-se!