Vídeos com alguma facécia

Agora é possível desfrutar de alguns vídeos relacionados com os textos. Para isso basta carregar no título do post. O título é aquela coisa a Negrito, com umas letras maiores, e que antecede as profícuas palavras deste blog. Advertência: Caros leitores, estão completamente proibidos de ver os vídeos antes de lerem as barbaridades escritas, correndo o risco de serem atingidos por uma comichão deveras desagradável na zona da púbis, seguido de pé-chato nas mãos e escorbuto nos tornozelos.

Tuesday, December 07, 2004

Sobre WCs

Não amiúde vezes, por volta do após-almoço tenho ideias destas.

O que se passa actualmente com as casas de banho públicas, vulgo WCs?

Da última vez que entrei numa casa de banho pública para mulheres (tipo no Colombo ou o próprio Estádio de Alvalade), existiam cubículos individuais fechados, cada um com o seu trono.

Ora, na parte dos homens a coisa é bem diferente: a grande maioria das vezes deparamos com aquela magnífica parede-em-pedra-ou-azulejo-feita-micotório, ou uma série de urinóis seguidos.
Podem dizer que é por uma razão de anatomia, mas a verdade é bem diferente:

Por que é, para mijar, uma mulher vai ao cubículo, completamente isolada e para mijar eu fico ali, com a minha minhoquita enrugada e tristonha na mão, eventualmente sujeito a todos os olhares laterais e completamente indefeso em relação a eles??

Se fosse apenas por razões anatómicas, porque não ter no WC das mulheres uma série de sanitas de seguida, sem absoluta necessidade do cubículo?

Ou então, qual o problema de ter os urinóis em cabines individuas?

Esta é, na realidade, uma questão de privacidade ou, mais correctamente, de excessiva, ilegítima, imoral e inconstitucional protecção da mesma.

A verdade é que quem desenha estas casas de banho é, necessária e simultaneamente, homem, bichona e reaccionário, e digo isto por duas razões:

- Preocupa-se em demasia com as mulheres e a intimidade delas. (Bicha!)

- Usando as casas de banho dos homens, interessa-lhe ver as minhocas alheias, incluindo a minha. (Bicha!)

O que essa pessoa, ou pessoas, quer é andar aí nos WC a mirar, ou a ser mirados.

Mas temos aceitar isso, sem mais. Nós, homens, já nos habituámos à ideia e até gostamos, achamos piada. Falamos, fazemos competições na parede, tentamos levantar as bolas de naftalina...

Já quanto às mulheres, a coisa é diferente: ficam isoladas entre elas no WC e, sobretudo, têm um tratamento diferente daquele que têm os homens, para uma situação idêntica, isto é, mijar. E não podem conversar...

Portanto, mulheres: sentindo-se descriminadas, peçam um tratamento igual!!!

Exijam que sejam deitadas abaixo as paredes opressoras desses cubículos!!! Façam murais nelas, assinando "camarada Arnaldo de Matos, só tu nos compreendes"

Já se passaram mais de 30 anos sobre o 25 de Abril e continuamos a ser governados por políticas segregacionistas, ditadas por arquitectos bicha e voyeurs.

Exijam poder ver as ratitas, mais ou menos enrugadas, umas das outras!!!

Revoltem-se, que as casas de banho não podem ficar na mesma e compete-vos a vós liderar o movimento!!!

(tirar e queimar soutiens também não era mal pensado para o efeito, ainda que sugerisse o início da Primavera por causa das constipações…)

No comments: